ESN - As Escrituras Sagradas segundo oNome

www.cyocaminho.com.br

Mobirise

TENHA A VERSÃO IMPRESSA: ADOTE EM SUA CONGREGAÇÃO

Atos 1

1-2. QUERIDO AMIGO que ama ao CRIADOR: Na minha primeira carta eu contei a você a vida e os ensinos de Yaohu’shua, e como Ele voltou para o céu depois de dar aos seus apóstolos novas instruções por meio do Santo Espírito/Rukha Kod’shua. 

3. Durante os 40 dias depois da sua crucificação Ele havia aparecido aos apóstolos diversas vezes em forma humana e provado para eles de muitas maneiras que era realmente Ele que estava ali. Nessas ocasiões falou a respeito do Reino do ETERNO.

4. Num desses encontros Ele disse que não deixassem Yah’shua-oleym até que em Espírito/Rukha, viesse sobre eles em cumprimento da promessa do Pai, um assunto que já tinham discutido antes.

5. João/Yaohu’khanan imergiu vocês com água, lembrou Ele, mas vocês serão imersos no Espírito/Rukha dentro de bem poucos dias.

6. Noutra ocasião em que lhes apareceu, perguntaram-lhe: Maoro’eh, é agora que vais restaurar o reino de Yaoshor’ul? 

7-8. É YAOHU’ABI quem determina os tempos, respondeu, e não vos compete conhecê-los. Mas, quando em RUKHA HOL’KODSHUA (YAOHUH, o Santo), tiver descido sobre vocês, receberão poder para falar de mim ao povo de Yah’shua-oleym, e em toda a Yaohu’dah e Shuamor’yaohuh, até aos extremos da terra. 

9. Não foi muito depois disto que Ele subiu ao céu e desapareceu numa nuvem, estando todos olhando para Ele. 

10. Enquanto estavam forçando a vista para olhar novamente o céu, de repente dois homens vestidos de branco apareceram ali entre eles. 

11. E disseram: Homens da Galiléia/ha’Galil, por que vocês ficam aqui olhando para cima? Yaohu’shua foi embora para o céu, e algum dia, tal como foi, Ele voltará! 

12. Eles estavam no Monte das Oliveiras quando isto aconteceu, de modo que caminharam o trecho de um quilômetro de volta a Yah’shua-oleym.

13,14. E foram fazer uma reunião de oração num cômodo do andar superior da casa onde estavam. Esta é a lista dos que se achavam presentes à reunião: Pedro/Kafos, João/Yaohu’khanan, Tiago/Yaohu’kaf, André/Andor’ul, Fylyp, Tomé/T’oma, Bartolomeu, Mateus/Man’yaohuh, Tiago/Yaohu’kaf (filho de Alfeu), Simão/Sham’ul (também chamado O nacionalista), Judas/Yaou’dah (filho de Tiago/Yaohu’kaf), e os irmãos de Yaohu’shua. Diversas mulheres, inclusive a mãe de Yaohu’shua, também estavam lá. 

15. Esta reunião de oração continuou vários dias. Durante este tempo, num dia em que mais ou menos 120 pessoas estavam presentes, Pedro/Kafos se levantou, dizendo o seguinte: 

16. Irmãos, era necessário que se cumprissem as Escrituras a respeito de Judas/Yaou’dah, que traiu Yaohu’shua, guiando a multidão ao encontro d’Ele, pois isto foi profetizado há muito tempo pelo Santo Espírito/Rukha Kod’shua, falando por meio do rei Da’oud.

17. Judas/Yaou’dah era um de nós, escolhido para ser apóstolo tal como nós fomos. 

18. Com o dinheiro que ele recebeu pela traição, foi comprado um campo. O próprio Judas/Yaou’dah, na sua queda pelo precipício, rebentou-se todo e suas entranhas se esparramaram.

19. Noticiada à morte dele espalhou-se rapidamente no meio do povo de Yah’shua-oleym, e puseram no lugar o nome de ‘O Campo de Sangue’.

20. A profecia do rei Da’oud sobre isto aparece no Livro dos Salmos, onde ele diz: ‘Que a sua casa fique deserta, sem ninguém morando nela’ E ainda: ‘Que o trabalho dele seja entregue para um outro fazer’.

21-22. Portanto nós devemos escolher agora um outro para ocupar o lugar de Judas/Yaou’dah e unir-se a nós como testemunha da ressurreição de Yaohu’shua. Escolhamos alguém que tenha estado constantemente conosco desde o nosso primeiro encontro com o CRIADOR, desde o tempo em que foi imerso por João/Yaohu’khanan, até o dia em que foi levado de nós para o céu.

23. A congregação mencionou dois homens: Yaohu’saf, o Justo (também chamado Barsabás) e Man’yaohuh. 

24-25. Então todos eles oraram para que fosse escolhido o homem certo. Ó CRIADOR, disseram, o CRIADOR conhece todos os corações; mostre-nos qual destes homens escolher como apóstolo para substituir o traidor Judas/Yaou’dah, que se foi para o lugar dele.

26. Depois fizeram um sorteio, e então Man’yaohuh foi escolhido e tornou-se apóstolo como os outros onze.

Atos 2

1-2. SETE SEMANAS já se haviam passado desde a morte e a ressurreição de Yaohu’shua, e com isto chegou o Dia de Pentecoste. Quando os crentes se reuniram naquele dia, de repente apareceu um som semelhante ao rugido de um poderoso vendaval no céu por cima deles, e aquilo encheu a casa onde estavam reunidos. 

3. Então, viu-se algo parecido com labaredas ou línguas de fogo que pousaram sobre as cabeças deles. 

4. Todos os presentes ficaram cheios do Santo Espírito/Rukha Kod’shua, e começaram a falar em línguas que não conheciam, porque o Santo Espírito/Rukha Ko-d’shua deu a eles esta capacidade.

5. Muitos yaohu’dins piedosos que tinham vindo de todas as nações estavam em Yah’shua-oleym naquele dia para as comemorações religiosas. 

6. E quando se ouviu o rugido no céu por cima da casa, multidões vieram correndo para ver do que se tratava, e ficaram espantadas ao ouvir seus próprios idiomas falados pelos discípulos. 

7. Como pode ser isto? exclamavam eles. Pois estes homens são da Galiléia/ha’Galil. 

8. E apesar disso nós ouvimos todos eles falando as línguas das terras onde nascemos! 

9-11. Aqui estamos: partos, medos, elamitas, homens da Mesopotâmia, da Yaohu’dah, da Capadócia, do Ponto e Ásia, da Frígia, da Panfília, do Egypto, das regiões da Líbia ao redor de Cirene, visitantes de Roma: tanto yaohu’dins como convertidos a Yaoshor’ul; cretenses e arabios. E todos nós ouvimos estes homens falando em nossas próprias línguas a respeito dos magníficos milagres do CRIADOR! 

12. E ali estavam eles, maravilhados e confusos. Que quer dizer isto, perguntavam uns aos outros.

13. Porém outros da multidão caçoavam. Eles estão bêbados, isso sim, diziam.

14. Nisso, Pedro/Kafos deu um passo à frente com os onze apóstolos e gritou à multidão: Ouçam, todos vocês, visitantes e igualmente moradores de Yah’shua-oleym! Fiquem sabendo isso: 

15. Alguns de vocês estão dizendo que estes homens estão bêbados! Não é verdade! É muito cedo para isto! Ninguém fica embriagado às 9 horas da manhã! 

16. Nunca! O que vocês estão vendo nesta manhã foi profetizado há séculos pelo profeta Joel/Yao’ul – 

17 ‘Nos últimos dias’, disse UL ’, Eu derramarei do Meu Santo Espírito/Rukha Kod’shua sobre toda a humanidade; os filhos e as filhas de vocês profetizarão, os jovens terão visões, e os velhos terão sonhos. 

18. Sim, o Santo Espírito/Rukha Kod’shua virá sobre todos os meus servos, homens e mulheres, e eles profetizarão. 

19. E Eu provocarei extraordinárias demonstrações nos céus e na terra: sangue, fogo, e nuvens de fumaça; 

20. O sol ficará negro, e a lua ficará vermelha como sangue, antes de chegar aquele pavoroso Dia do CRIADOR. 

21. Porém todo aquele que pedir pelo nome do CRIADOR, será salvo’.

22. Homens de Yaoshor’ul, ouçam! UL’HIM apoiou publicamente Yaohu’shua de entre os nazarenos ao fazer espantosos milagres por meio dEle, como vocês bem sabem. 

23. Porém, seguindo seu plano já estabelecido, o mesmo UL’HIM permitiu a vocês utilizarem o governo romano para pregar na cruz e depois assassinar Yaohu’shua. 

24. Então UL’HIM livrou seu filho dos horrores da morte e O trouxe de volta à vida, pois a morte não podia segurar aquele Homem nas suas garras.

25. O rei Da’oud citou Yaohu’shua, dizendo: ‘Eu sei que o CRIADOR está sempre comigo. Ele está me ajudando. A poderosa força do ETERNO me sustenta. 

26. Não é de admirar que o meu coração esteja cheio de alegria e a minha língua grite os seus louvores! Pois Eu sei que tudo andará bem com meu corpo na morte. 

27. O CRIADOR não deixará a minha vida na sepultura, nem permitirá que o corpo do seu Santo Filho entre em decomposição. 

28. O CRIADOR restituirá a minha vida, e me dará maravilhosa alegria na sua presença’.

29. Queridos irmãos, meditem nisto! Da’oud não estava se referindo a si mesmo quando falou estas palavras que eu citei, pois ele morreu e foi sepultado, e o seu túmulo ainda está aqui entre nós! 

30. Porém ele era profeta, e sabia que o CRIADOR havia prometido com juramento infalível que um dos próprios descendentes de Da’oud seria o Messias/hol’Mehu-shkyah e Se sentaria no trono dele. 

31. Da’oud estava olhando para o futuro distante e predizendo a ressurreição do Messias/hol’ Mehushkyah; declarando que a vida do Messias/hol’Mehu-shkyah não seria deixada na sepultura e o corpo dEle não entraria em decomposição. 

32. Da’oud estava falando de Yaohu’shua, e todos nós somos testemunhas de que Ele se levantou dentre os mortos.

33. E agora está sentado no trono da mais alta honra no céu, junto a YAOHUH-ABI. E tal como prometeu, o Pai/YAOHU-ABI enviou-o como um Santo Espírito/Rukha Kod’shua: com as consequências que vocês estão vendo e ouvindo hoje.

34. Não, Da’oud não estava falando de si mesmo nestas palavras dele que eu citei, pois ele nunca subiu aos céus. Além disso, ele declarou mais adiante: YAOHUH UL’HIM falou ao meu CRIADOR, o Messias/hol’Mehu-shkyah, e disse: ‘sente-Se aqui num lugar de honra ao meu lado’. 

35. ‘Até que Eu ponha os seus inimigos em completa submissão’.

36. Portanto, eu garanto a todo mundo em Yaoshor’ul que, deste Yaohu’shua que vocês crucificaram, YAOHUH UL’HIM O fez CRIADOR e Messias/hol’Mehush-kyah! 

37. Estas palavras de Pedro/Kafos comoveram a todos profundamente, que disseram aos apóstolos: Irmãos, que devemos fazer?

38. Pedro/Kafos respondeu: Cada um de vocês deve abandonar o pecado, voltar-se para o ETERNO e ser imerso no nome de Yaohu’shua hol’Mehushkyah para o perdão dos seus pecados: então vocês também receberão do Santo Espírito/Rukha Kod’shua, que será por vocês. 

39. Porque hol’Mehushkyah prometeu esse dom para cada um de vocês que tenha sido chamado pelo CRIADOR nosso UL, para os filhos de vocês, e até para os que estão nas terras distantes! 

40. Então Pedro/Kafos pregou um longo sermão, falando a respeito de Yaohu’shua, procurando convencer todos os seus ouvintes a que se salvassem da maldade da sua nação. 

41. E aqueles que acreditaram na pregação de Pedro/Kafos foram imersos: ao todo uns 3.000! 

42. E uniram-se aos outros crentes na frequência regular às reuniões de ensino dos apóstolos, de Comunhão, e nas reuniões de oração. 

43. Em todos eles havia um profundo respeito, e os apóstolos faziam muitos milagres.

44-45. Todos os crentes se reuniam constantemente e repartiam tudo uns com os outros, vendendo suas propriedades e dividindo com os que tinham necessidade. 

46-47. Regularmente eles adoravam juntos no Templo todos os dias, reuniam-se em grupos pequenos nas casas; Congregando e participavam das suas refeições com grande alegria e gratidão, louvando ao CRIADOR. A cidade inteira tinha simpatia por eles, e cada dia o próprio CRIADOR acrescentava à igreja todos os que estavam sendo salvos.

Atos 3

1. CERTA TARDE, Pedro/Kafos e João/Yaohu’khanan foram ao Templo para participar da reunião diária de oração das três horas. 

2. Quando eles se aproximavam, viram um homem coxo de nascimento ser carregado pela rua e colocado ao lado do portão do Templo: aquele chamado o Portão Formoso: como era seu costume todos os dias. 

3. Quando Pedro/Kafos e João/Yaohu’khanan estavam passando, o pobre homem pediu algum dinheiro.

4. Os dois olharam bem para ele. Então Pedro/Kafos falou: ‘Olhe para cá!’

5. O coxo prestou atenção a eles, esperando uma esmola.

6. Mas Pedro/Kafos disse: Não temos dinheiro nenhum para você, mas eu vou dar uma outra coisa! Em nome de Yaohu’shua hol’Mehushkyah de entre os nazarenos, eu digo: ande! 

7-8. Com isto Pedro/Kafos tomou o coxo pela mão e pôs o homem em pé. Ao fazer isso, os pés do homem foram curados e ficaram tão fortes que ele pôde se levantar de um pulo, ficou ali um momento e começou a caminhar! Então, caminhando, pulando, e louvando ao CRIADOR, entrou no Templo com eles.

9-10. Quando os que estavam lá dentro viram o homem andando e louvando ao CRIADOR, perceberam que ele era o mendigo coxo que haviam visto tantas vezes no Portão Formoso; foram então tomados de uma surpresa enorme! 

11. Todos correram para o Alpendre de Salomão/Shu-a’olmoh, onde o coxo estava com Pedro/Kafos e João/Yaohu’khanan, e não se separava deles! Todo mundo ficou ali espantado com aquele acontecimento maravilhoso.

12. Pedro/Kafos então dirigiu-se à multidão! Homens de Yaoshor’ul, disse ele, que existe de tão admirável nisto? E por que olharem para nós, como se pelo nosso próprio poder ou virtude tivéssemos feito este homem andar? 

13. Porque é o UL’HIM de Abrul’han, de Yahtzk’haq e Yaohu’kaf, e de todos os nossos avós, quem glorificou o Seu Filho Yaohu’shua fazendo isto. Eu me refiro a Yaohu’shua que vocês abandonaram diante de Pilatos, apesar de Pilatos ter decidido solta-lo.

14. Vocês não O quiseram solto aquele Santo e Justo. Em lugar dEle, exigiram foi a libertação de um assassino. 

15. E vocês mataram o Autor da Vida; mas o ETERNO O ressuscitou. Eu e João/Yaohu’khanan somos testemunhas deste fato, porque depois que vocês O mataram nós O vimos novamente vivo!

16. Foi o nome de Yaohu’shua que curou este homem: e vocês sabem que ele era coxo antes. A fé no nome de Yaohu’shua: a fé que é dada a nós pelo ETERNO: produziu esta cura perfeita.

17. Queridos irmãos, eu entendo que o que vocês fizeram com Yaohu’shua foi por ignorância; e a mesma coisa se pode dizer dos seus líderes. 

18. Porém o ETERNO estava cumprindo seu plano de que o Messias/hol’Mehushkyah devia sofrer todas estas coisas. 

19-20. Agora, mudem de idéia e de atitude para com o CRIADOR, voltando-se para Ele, a fim de Ele possa limpar os pecados de vocês e mandar, da presença do ETERNO, tempos maravilhosos de alívio ao enviar-lhes novamente Yaohu’shua o Messias/hol’Mehushkyah de vocês. 

21-22. Porque Ele deve permanecer no céu até que todas as coisas sejam finalmente recuperadas do pecado, conforme foi profetizado desde os tempos antigos. Mehu’shua, por exemplo, disse há muito tempo: O ETERNO levantará entre vocês um Profeta, que se parecerá comigo! Prestem atenção com cuidado a tudo quanto Ele disser a vocês. 

23. Todo aquele que não ouvir Seu ensinamento, será completamente destruído.

24. Shamu’ul e os outros profetas há muito tempo já falaram a respeito do que está acontecendo hoje. 

25. Vocês são os filhos daqueles profetas; e estão incluídos na Promessa do ETERNO aos seus antepassados, de abençoar o mundo inteiro por meio da raça yaohudáh: esta foi a promessa que o CRIADOR fez a Abrul’han. 

26. E logo que o ETERNO ressuscitou Seu Filho, Ele mandou Yaohu’shua primeiro a vocês, homens de Yaoshor’ul, para abençoar a todos, fazendo com que se convertam dos seus pecados.

Atos 4

1-2. ENQUANTO ELES estavam falando ao povo, os sacerdotes principais, o comandante da polícia do Templo e alguns dos saduceus vieram a eles, muito incomodados de que Pedro/Kafos e João/Yaohu’khanan estivessem afirmando que Yaohu’shua havia ressuscitado.

3. Eles prenderam Pedro/Kafos e João/Yaohu’khanan, e como já havia anoitecido, puseram os dois no cárcere para passar a noite. 

4. Porém muitos que ouviram a mensagem deles creram nela, de modo que o número de crentes agora já atingia cerca de 5.000 homens!

5-6. No outro dia, aconteceu que um conselho de todos os líderes yaohu’dins estava em sessão em Yah’shua-oleym, ali estavam o supremo sacerdote Anás, Caifás, Yaohu’khanan, Alexandre, e outros dos parentes do supremo sacerdote. 

7. Assim foi que os dois discípulos foram trazidos à presença deles. Com que poder, ou pela autoridade de quem vocês fizeram isto, perguntou o Conselho.

8-10. Então Pedro/Kafos, cheio do Santo Espírito/Rukha Kod’shua, disse: Yaoshorul’itas líderes e anciãos da nossa nação, se vocês se referem à cura realizada no paralítico, e como aconteceu, permitam que eu claramente afirme a todo o povo de Yaoshor’ul que isto foi feito no nome e no poder de Yaohu’shua de entre os nazarenos, o Messias/hol’Mehushkyah, o Homem que vocês crucificaram: mas o CRIADOR ressuscitou. É pela autoridade dEle que este homem se acha aqui curado! 

11. Porque Yaohu’shua, o Messias/hol’Mehushkyah, é Aquele a quem se referem as Escrituras quando falam de uma ‘pedra rejeitada pelos construtores que se tornou a pedra principal da esquina’. 

12. Não há salvação em nenhum outro mais! Debaixo do céu inteiro não existe nenhum outro nome para os homens chamarem a fim de serem salvos.

13. Quando o conselho viu a coragem de Pedro/Kafos e João/Yaohu’khanan, e pôde ver que eles eram evidentemente homens simples e sem cultura, ficaram espantados e perceberam o que a convivência com Yaohu’shua havia feito neles! 

14. Mas o conselho dificilmente podia desmentir a cura, visto que o homem que eles haviam curado achava-se bem ali ao lado deles! 

15. Portanto mandaram os dois saírem da Sala do Conselho e se consultaram entre si.

16. Que vamos fazer com estes homens, perguntavam uns aos outros. Nós não podemos negar que eles fizeram um espantoso milagre, e todo mundo em Yah’shua-oleym sabe disso. 

17: Porém talvez possamos impedir que se espalhe à propaganda deles. Nós diremos a eles que, se fizerem isso novamente, receberão o pior castigo possível. 

18. Então eles chamaram os dois de volta, e lhes disseram que nunca mais falassem novamente a respeito de Yaohu’shua.

19. Mas Pedro/Kafos e João/Yaohu’khanan responderam: Decidam vocês se o CRIADOR quer que nós lhes obedeçamos em lugar de obedecermos a Ele! 

20. Nós não podemos parar de falar das coisas maravilhosas que Yaohu’shua fez e disse.

21-22. Então o Conselho tornou a ameaçar, e finalmente mandou os dois embora porque não sabia como dariam um castigo a eles sem provocar um tumulto. Porque todo mundo estava louvando ao CRIADOR por causa deste maravilhoso milagre – a cura de um homem que havia sido coxo durante 40 anos!

23. Logo que foram soltos, Pedro/Kafos e João/Yao-hu’khanan encontraram-se com os discípulos e contaram o que o Conselho tinha dito.

24-26. Com isto, todos os crentes uniram-se nesta oração: óh CRIADOR, CRIADOR do céu, e da terra, e do mar, e de tudo o que há neles o CRIADOR falou há muito tempo em Espírito,/Rukha Kod’shua, através do nosso antepassado rei Da’oud, seu servo, dizendo: ‘Por que as pessoas sem o ETERNO se enfurecem contra o CRIADOR, e as nações descrentes planejam suas pequenas conspirações contra UL’HIM, o TODO-PODEROSO? Os reis da terra se unem para lutar contra Ele, contra o Filho do ETERNO, ungido por Ele!’

27. Isso é o que está acontecendo hoje, aqui nesta cidade! Pois o rei Herod, o governador Pôncio Pilatos, e todos os romanos: tanto quanto o povo de Yaoshor’ul: estão unidos contra Yaohu’shua, o seu Filho ungido, o seu santo servo.

28. Não querem deter-se diante de nada que o CRIADOR, em seu sábio poder, permita que eles façam. 

29. E agora, óh UL’HIM, preste atenção às ameaças deles, e conceda aos seus servos grande coragem em sua pregação.

30. Envie o Seu Poder curativo, e que milagres e maravilhas sejam feitos pelo nome do Seu santo Filho, Yaohu’shua.

31. Depois desta oração, o prédio onde eles estavam reunidos foi sacudido, e todos eles ficaram cheios do Santo Espírito/Rukha Kod’shua, e pregavam corajosa-mente a mensagem do ETERNO.

32. Todos os crentes eram um só na mente e no coração, e ninguém pensava que aquilo que possuía era seu próprio; todo mundo estava repartindo o que tinha. 

33. Os apóstolos pregavam sermões poderosos sobre a ressurreição do Maoro’eh Yaohu’shua, e havia uma calorosa fraternidade entre todos os crentes. 

34-35. Não havia pobreza: pois todos os que possuíam terra, ou casas, vendiam tudo e traziam o dinheiro para que os apóstolos dessem aos outros em necessidade.

36. Por exemplo, um deles foi Yaohu’saf (aquele que os apóstolos apelidaram de Barnabé/Bornaví, o Pregador! Era da tribo de Leví, e natural da ilha de Chipre/Cyprus). 

37. Ele, pois, vendeu um campo que possuía e trouxe o dinheiro aos apóstolos.

Atos 5

1-2. PORÉM, HOUVE um homem chamado Anan’yah (com sua esposa Safira) que vendeu uma certa propriedade, e trouxe somente uma parte do dinheiro, afirmando que era o preço total (a esposa dele tinha concordado com esta mentira).

3. Mas Pedro/Kafos disse: Anan’yah, ha’satan encheu o seu coração. Por que você deixou? Quando você afirmou que este era o preço total, estava mentindo ao Santo Espírito/Rukha Yaohu’shua. 

4. A propriedade era sua para vender ou não, como quisesse. E depois de vende-la, estava com você decidir quanto ia dar. Como pôde inventar uma coisa destas? Não estava mentindo a nós, e sim ao CRIADOR.

5. Logo que Anan’yah/Anan’yah ouviu estas palavras caiu morto no chão! Todo mundo ficou com medo. 

6. E os mais jovens cobriram o morto com um lençol, levaram para fora e sepultaram Anan’yah.

7. Cerca de três horas depois entrou a esposa dele, sem saber o que tinha acontecido.

8. Pedro/Kafos perguntou: Vocês venderam aquela terra por este preço assim, assim? – Sim, respondeu ela, vendemos.

9. Então Pedro/Kafos disse: como é que você e seu marido puderam até mesmo pensar me fazer uma coisa destas – conspirar juntos para pôr à prova a capacidade do Ru’kha UL’HIM de saber o que está acontecendo? Bem ali, do lado de fora daquela porta, estão os rapazes que sepultaram o seu marido, e levarão você também.

10. Imediatamente ela caiu morta no chão; os jovens entraram, e ao ver que Safira tinha morrido, carregaram o corpo para fora e sepultaram ao lado do marido. 

11. Um profundo respeito se apoderou da igreja inteira e de todos os outros que souberam o que tinha acontecido.

12. Enquanto isso, os apóstolos se reuniam regularmente no Templo, na parte conhecida como o Alpendre de Salomão/Shua’olmoh, e o CRIADOR operou muitos milagres notáveis entre o povo pelas mãos dos apóstolos. 

13. Entretanto, os de fora não tinham coragem de juntar-se a eles, mas todos tinham para com eles a maior consideração. 

14. E crentes em número cada vez maior eram acrescentados ao CRIADOR, multidões de homens e de mulheres. 

15. Traziam gente doente em camas e esteiras para as ruas, a fim de que pelo menos a sombra de Pedro/Kafos caísse sobre alguns deles enquanto o apóstolo passava! 

16. E dos subúrbios de Yah’shua-oleym vinham multidões trazendo seus doentes e aqueles que estavam possessos de espíritos imundos; e cada um deles era curado.

17. O supremo sacerdote, os parentes e amigos dele entre os saduceus, reagiram com uma violenta inveja. 

18. E prenderam os apóstolos, pondo todos na cadeia pública.

19. Porém um Anjo do ETERNO veio de noite, abriu os portões da cadeia e levou os apóstolos para fora, dizendo: 

20. Vão para o Templo, e preguem sobre a Vida Eterna! 

21. Eles chegaram ao Templo perto do amanhecer, e imediatamente começaram a pregar! Mais tarde, naquela manhã, o supremo sacerdote e seus auxiliares chegaram ao Templo, e convocaram o Conselho judaico e o Senado todo: depois mandaram buscar os apóstolos e trazer, para julgamento. 

22. Mas quando os guardas chegaram à cadeia, os homens não estavam lá, e por isso voltaram ao Conselho e informaram: 

23. As portas da cadeia estavam trancadas, e os guardas se achavam do lado de fora, mas quando abrimos os portões, não havia ninguém lá! 

24. Quando o comandante da polícia do Templo e os sacerdotes principais souberam disto, ficaram furiosos, querendo descobrir o que iria acontecer em seguida e onde é que aquilo tudo iria acabar! 

25. Foi então que chegou alguém com a notícia de que os prisioneiros estavam soltos no Templo, pregando ao povo!

26-27. O comandante da polícia foi com os seus oficiais e prendeu os apóstolos (sem violência, porque estavam com medo de que o povo se revoltasse se eles tratassem os discípulos com brutalidade), trazendo os acusados diante do Conselho.

28. Nós não dissemos a vocês que nunca mais tornassem a pregar sobre este Yaohu’shua, perguntou o supremo sacerdote. E em lugar disso vocês encheram Yah’shua-oleym toda com o seu ensino e pretendem pôr a culpa da morte desse Homem em cima de nós! 

29. Porém Pedro/Kafos e os apóstolos responderam: Devemos primeiro obedecer ao CRIADOR, e depois aos homens. 

30. O UL’HIM dos nossos antepassados trouxe Yaohu’shua de volta à vida depois que foi morto por vocês, pendurado numa cruz. 

31. Depois, com enorme poder, YAOHUH glorificou-o, dando-lhe o lugar de Honra, à Sua mão direita, como Molkhi’ul (Rei) e Míhushuayao (Salvador), para que o povo de Yaoshor’ul tivesse uma oportunidade de arrependimento e de perdão para os seus pecados. 

32. Somos testemunhas destas coisas, como o é também o Ru’kha Yaohu’shua (Yaohu’shua em Espírito, onipresente) dado por YAOHUH a todos quantos lhe obedecem.

33. Com isso, o Conselho ficou furioso e decidiu matar os apóstolos. 

34. Mas um dos seus membros, um fariseu chamado Gamali’ul (especialista na lei religiosa e muito estimado entre o povo), se levantou e pediu que os apóstolos fossem mandados para fora da Sala do Conselho enquanto ele falava.

35. Depois dirigiu-se aos colegas, dizendo: Homens de Yaoshor’ul, cuidado como que vocês estão planejando fazer com estes acusados! 

36. Há algum tempo houve aquele Teudas, que tinha a pretensão de ser alguém importante. Cerca de outros 400 se juntaram a ele, porém foi morto e os seus seguidores foram dispersos sem prejuízo para ninguém.

37. Depois dele, na época do recenseamento, surgiu Judas/Yaou’dah, da Galiléia/ha’Galil. Este arrastou consigo algumas pessoas como discípulos; porém ele também morreu, e os seus seguidores se espalharam.

39. Portanto, a minha opinião é esta: deixem estes homens em paz. Se o que eles ensinam e fazem é puramente deles mesmos, isso logo será desfeito. 

39. Porém se é do ETERNO, vocês não serão capazes de fazer ninguém parar, e não é bom que aconteça que vocês se encontrem a si mesmos lutando até contra o CRIADOR?

40. O Conselho aceitou a opinião de Gamali’ul, chamou os apóstolos, mandou espancá-los e então disse a eles que nunca mais falassem no nome de Yaohu’shua; finalmente mandou que fossem embora. 

41. Os apóstolos deixaram a Sala do Conselho sentindo alegria porque o CRIADOR havia achado que eles eram dignos de sofrer ofensas por amor ao nome do Maoro’eh Yaohu’shua hol’Mehushkyah. 

42. E todos os dias, no Templo e na cidade, continuavam a ensinar e pregar que Yaohu’shua é o Messias/hol’Me-hushkyah.

Atos 6

1. PORÉM COM a rápida multiplicação dos crentes, houve murmúrios de descontentamento. Aqueles que só falavam grego queixavam-se de que as viúvas deles estavam sendo postas de lado, e que na distribuição diária não estavam dando tanto alimento a elas como às viúvas que falavam hebraico. 

2. Então os doze convocaram uma reunião de todos os crentes. Nós devemos gastar o nosso tempo com a pregação, e não dirigindo o programa de distribuição de alimentos, disseram eles. 

3. Portanto, procurem entre vocês mesmos, queridos irmãos, e escolham sete homens, sábios e cheios do Santo Espírito/Rukha Kod’shua, que sejam bem considerados por todo mundo; e nós colocaremos esses servos do ETERNO a cargo deste assunto. 

4. Então poderemos gastar todo o nosso tempo na oração, na pregação e no ensino.

5. Isto pareceu razoável à congregação toda, e eles elegeram estes: Esteban (um homem excepcionalmente cheio de fé e do Santo Espírito/Rukha Kod’shua), Fylyp, Prócoro, Nicanor, Simão/Sham’ul, Pármenas, Nicolau de Antioquia (um estrangeiro convertido à fé judaica, e que agora havia se tornado messiânico). 

6. Estes sete foram apresentados aos apóstolos, que oraram por eles e abençoaram a todos eles, colocando as mãos em suas cabeças.

7. A mensagem do ETERNO era pregada em círculos que se alargavam cada vez mais, e o número dos discípulos aumentava enormemente em Yah’shua-oleym; muitos dos sacerdotes yaohu’dins também se converteram. 

8. Esteban, o homem tão cheio de fé e do poder do Santo Espírito/Rukha Kod’shua, fazia milagres espantosos entre o povo.

9. Porém, um dia, alguns dos homens do culto judaico dos Libertos começaram uma discussão com ele, e em breve se juntaram ao grupo alguns yaohu’dins de Cirene, de Alexandria do Egypto, das províncias turcas da Cilícia e da Ásia. 

10. Mas nenhum deles podia enfrentar a sabedoria e o espírito de Esteban.

11. Então pagaram uns homens para mentirem a respeito dele, dizendo que tinham ouvido Esteban amaldiçoar Mehu’shua, e até o CRIADOR.

12. Esta acusação levantou o povo em fúria contra Esteban, de sorte que os líderes yaohu’dins prenderam e trouxeram Esteban diante do Conselho. 

13. As testemunhas mentirosas depuseram novamente que Esteban estava constantemente falando contra o Templo e contra as leis dadas a Mehu’shua.

14. E declararam: Nós ouvimos Esteban dizer que esse tal de Yaohu’shua de entre os nazarenos destruirá o Templo, e acabará com todas as leis dadas a Mehu’shua. 

15. Então todo mundo na Sala do Conselho viu o rosto de Esteban tornar-se radiante como o rosto de um Anjo!

Atos 7

1. ENTÃO O SUPREMO sacerdote perguntou: Estas acusações são verdadeiras? 

2-3. Esta foi à resposta de Esteban: Irmãos e pais ouçam: O Glorioso UL apareceu ao nosso antepassado Abrul’han no Iraque, antes que ele se mudasse para a Syria, e disse-lhe que deixasse a terra natal e se despedisse dos parentes, pondo-se a caminho para um país para o qual o CRIADOR mandaria. 

4-5. Então ele deixou a terra dos caldeus e morou em Haran, na Syria, até que morreu o pai dele. Depois o CRIADOR trouxe Abrul’han para esta terra de Yaoshor’ul, mas não deu a ele nenhuma propriedade, nem um pedacinho de terra. Entretanto, o CRIADOR prometeu que no fim de tudo o país inteiro pertenceria a ele e aos seus filhos: embora na época ele ainda não tivesse nenhum filho! 

6. Mas o CRIADOR também disse que os filhos dele deixariam a terra, morariam em um país estrangeiro, e ali se tornariam escravos dentro dos 400 anos.

7-8. ‘Porém Eu castigarei a nação que escravizar vocês’, disse-lhe o CRIADOR’, ...e depois o Meu povo voltará a esta terra de Yaoshor’ul e Me adorará aqui’. O CRIADOR também deu a Abrul’han naquele tempo, a cerimônia da circuncisão, como sinal do acordo entre o CRIADOR e o povo de Abrul’han. Por isso Yahtzk’haq, filho de Abrul’han, foi circuncidado quando estava com oito dias de idade. Yahtzk’haq tornou-se o pai de Yaohu’kaf, e Yaohu’kaf foi o pai dos doze patriarcas da nação judaica. 

9-10 Estes homens tiveram muita inveja de Yaohu’saf, vendendo o irmão como escravo para o Egypto. Porém o CRIADOR estava com ele, livrando o rapaz de todas as suas angústias, e fazendo com que caísse na simpatia de Faraó, rei do Egypto. O CRIADOR também deu a Yaohu’saf sabedoria fora do comum, de modo que foi nomeado pelo faraó para governador do Egypto todo, como também foi encarregado de todos os assuntos do palácio.

11. Porém, veio uma fome sobre o Egypto e Canaan/Kena’anu, e houve grande pobreza para os nossos antepassados. Quando a comida deles se acabou, 

12. Yaohu’kaf soube que ainda havia trigo no Egypto, e então mandou seus filhos para comprar um pouco. 

13. Quando foram à segunda vez, Yaohu’saf revelou a identidade dele aos seus irmãos, e eles foram apresentados ao faraó. 

14. Então Yaohu’saf mandou trazer Yaohu’kaf, o pai dele, para o Egypto, e todas as famílias dos irmãos, ao todo 75 pessoas. 

15. Assim Yaohu’kaf foi para o Egypto, onde morreu, e também todos os filhos dele. 

16. Foram levados para Siquem e sepultados no túmulo que Abrul’han comprou dos filhos de Emor, pai de Siquem.

17-18. Quando se aproximou o tempo do ETERNO cumprir sua promessa a Abrul’han, de libertar seus descendentes da escravidão, o povo judaico havia-se multiplicado grandemente no Egypto; então foi coroado um rei que não tinha respeito pela memória de Yaohu’saf. 

19. Este rei conspirou contra a nossa raça, forçando os pais a abandonarem seus filhos nos campos.

20. Por aquela época nasceu Mehu’shua criança de grande beleza. Foi escondido em casa por três meses. 

21. E quando finalmente seus pais não podiam mais conservar escondido o menino, que foi abandonado, a filha de Faraó encontrou Mehu’shua, e adotou o nenê como seu próprio filho.

22. Ensinou-lhe toda a sabedoria dos egypcios, e ele tornou-se um poderoso príncipe e em sabedoria.

23. Um dia, quando ele estava quase com 40 anos, veio-lhe a idéia de visitar seus irmãos, o povo de Yaoshor’ul. 

24. Nessa visita, viu um egypcio maltratando um homem de Yaoshor’ul. Então Mehu’shua, vingando a injustiça, matou o egypcio. 

25. Mehu’shua esperava que seus irmãos entenderiam que ele tinha sido mandado pelo CRIADOR para socorrer a todos eles, porém não entenderam.

26. No outro dia viu dois homens de Yaoshor’ul brigando. Tentou agir como um pacificador. ‘Irmãos’, disse ele, ‘vocês são irmãos e não deviam estar brigando assim! Isso está errado!’ 

27. Porém o homem que era culpado pela briga recusou a ajuda de Mehu’shua. ‘Quem fez de você autoridade e juiz sobre nós?’ perguntou ele. 

28. ’Você vai me matar como matou aquele egypcio ontem?’

29. Com isto Mehu’shua fugiu do país, e morou na terra de Midian, onde nasceram seus dois filhos.

30. Quarenta anos depois, no deserto próximo ao Monte Sinai/S’neah, um Anjo apareceu a ele num arbusto que estava em fogo. 

31. Mehu’shua viu aquilo e perguntou a si mesmo o que seria. Ao chegar perto para ver, a voz do CRIADOR gritou-lhe: 

32. ’Eu sou o UL dos seus antepassados: de Abrul’han, Yahtzk’haq e Yaohu’kaf’. Mehu’shua tremeu de medo e não tinha coragem de olhar para cima.

33. Depois o CRIADOR disse: ‘Tire o calçado, porque você está pisando em chão sagrado. 

34. Eu vi a aflição do Meu povo no Egypto e ouvi os seus clamores. Desci para libertar Yaoshor’ul. Venha, que eu vou mandar você ao Egypto’. 

35. Assim o CRIADOR mandou de volta o mesmo homem que o Seu Povo havia desprezado antes, quando perguntaram a ele: ‘Quem fez de você autoridade e juiz sobre nós?’ Mehu’shua era enviado para ser a autoridade e o libertador deles, depois da visão no arbusto. 

36. Por meio de muitos milagres notáveis ele os conduziu para fora do Egypto e através do Mar Vermelho, e pelo deserto durante 40 anos.

37. O próprio Mehu’shua disse ao povo de Yaoshor’ul: ‘o CRIADOR levantará entre os irmãos de vocês um Profeta muito parecido comigo’. 

38. Como isto foi tão verdadeiro! Pois no deserto Mehu’shua foi um intermediário: O mediador entre o povo de Yaoshor’ul e o ANJO que deu a eles a Lei do ETERNO: a Palavra Viva: no Monte Sinai/S’neah.

39. Mas os nossos pais desprezaram Mehu’shua e quiseram voltar ao Egypto.

40. Disseram a Aharon: ‘Faça ídolos para nós, para que tenhamos ídolos que nos levem adiante; porque não sabemos o que é feito deste Mehu’shua, que nos tirou do Egypto’. 

41. Assim eles fizeram um bezerro como ídolo e ofereceram sacrifício a ele, sentindo alegria naquela coisa que haviam feito. 

42. Então UL lhes deu as costas e abandonou a todos eles, deixando que servissem ao sol, à lua e às estrelas como ídolos deles! No livro das profecias de Am’oz, o CRIADOR pergunta: ‘Foi a Mim que vocês ofereceram sacrifícios naqueles 40 anos no deserto, óh povo de Yaoshor’ul? 

43. Não! O interesse verdadeiro de vocês estava nos seus ídolos pagãos: Sacute, a deusa-estrela Quevã, e em todas as imagens que vocês fizeram. Portanto, eu mandarei vocês como escravos para bem longe, além da Bavel.

44. Os nossos antepassados levavam com eles um Templo portátil, ou seja, um Tabernáculo, através do deserto. Nele estavam guardadas as tábuas de pedra com os Dez Mandamentos escritos. O Tabernáculo foi fabricado exatamente de acordo com o plano que o ANJO mostrou a Mehu’shua.

45. Anos depois, quando Josué/Yao’sh conduziu as batalhas contra as nações estrangeiras, este Tabernáculo foi levado com eles para o seu novo território, e usado até no tempo do rei Da’oud.

46. O CRIADOR abençoou grandemente a Da’oud, que pediu o privilégio de construir um Templo permanente para o UL de Yaohu’kaf. 

47. Porém foi Salomão/Shua’olmoh quem realmente construiu esse Templo.

48-49. Contudo, o CRIADOR não habita em Templos feitos por mãos humanas. ‘O céu é o meu trono: diz o CRIADOR por meio dos Seus profetas, e a terra é o estrado dos Meus pés. Que espécie de casa vocês poderiam construir?’ ...pergunta o CRIADOR! ‘Eu poderia permanecer nela?’ 

50. ‘Eu não fiz tanto os céu como a terra?’

51. Como vocês são duros de coração! Terão de resistir para sempre ao Santo Espírito/RUKHA UL’HIM, mas seus pais fizeram isso e assim fazem vocês! 

52. Digam o nome de um profeta que os antepassados de vocês não perseguiram! Eles até mataram aqueles que profetizaram sobre a vinda do Justo: O Messias/hol’Mehushkyah, que vocês traíram e assassinaram. 

53. Sim, e vocês de propósito destruíram as Leis do ETERNO, embora fossem recebidas das mãos de Anjos.

54. Os líderes yaohu’dins ficaram ardendo em raiva com a acusação de Esteban, e rangiam os dentes de fúria. 

55. Mas Esteban, cheio do Santo Espírito/Rukha Kod’shua, olhou bem firme para o céu e viu a Glória do ETERNO, e Yaohu’shua em pé, à direita do Pai. 

56. Então disse a eles: Olhem eu estou vendo os céus abertos e Yaohu’shua, o Messias/hol’Mehushkyah, em pé ao lado direito do ETERNO! 

57-58. Mas todos se revoltaram contra ele, puseram as mãos nos ouvidos, abafaram sua voz com os gritos da multidão, que arrastou Esteban para fora da cidade, a fim de apedrejá-lo. As testemunhas oficiais: Os que jogaram as pedras: tiraram os casacos e puseram aos pés de um jovem chamado Paulo/Sha’ul.

59-60. Enquanto as pedras assassinas eram atiradas sobre ele, Esteban orava: Maoro’eh Yaohu’shua, recebe o meu espírito. Depois caiu de joelhos, gritando: CRIADOR, perdoe para que não sejam culpados disto! E com isto, morreu.

Atos 8

1. SAULO [SHA’UL] ESTAVA bem de acordo com a morte de Esteban, e começou naquele dia uma grande onda de perseguição aos crentes, a qual atingiu a igreja de Yah’shua-oleym; todos fugiram para a Yaohu’dah e Samaria/Shuamor’yaohuh, com exceção dos apóstolos.

2. (Mas alguns yaohu’dins piedosos vieram e com grande tristeza sepultaram Esteban). 

3. Paulo/Sha’ul andava como que furioso, e ia a todos os lugares para destruir os crentes, entrando até nas casas particulares, arrastando para fora tanto homens como mulheres, metendo todos na cadeia.

4. Mas os messiânicos que tinham fugido de Yah’shua-oleym iam por todos os lugares pregando as Boas Novas sobre o nome de Yaohu’shua! 

5. Fylyp, por exemplo, foi para a cidade de Shuamor’yaohuh e falou a respeito de hol’Mehushkyah ao povo dali. 

6. As multidões ouviram atentamente o que ele tinha a dizer, por causa dos milagres que fazia. 

7-8. Muitos espíritos maus eram expulsos, e gritavam ao deixar suas vítimas; muitos paralíticos e coxos eram curados, de modo que havia alegria naquela cidade!

9-11. Um homem chamado Simão/Sham’ul antes tinha sido feiticeiro ali durante muitos anos; era um homem de muita fama e orgulhoso por causa das feitiçarias que podia fazer: aliás, o povo samaritano frequentemente falava dele como a Revelação do Poder do ETERNO. 

12. Porém logo creram na mensagem de Fylyp, que Yaohu’shua era o Messias/hol’Mehushkyah, e nas palavras dele a respeito do Reino do ETERNO; e muitos homens e mulheres foram imersos. 

13. Então o próprio Simão/Sham’ul creu e foi imerso, e começou a seguir Fylyp, a todos os lugares aonde ia; estava maravilhado com os sinais que eram feitos.

14. Quando os apóstolos souberam em Yah’shua-oleym que o povo de Shuamor’yaohuh havia aceitado a mensagem do ETERNO, mandaram Pedro/Kafos e João/Yaohu’khanan até lá. 

15-16. Logo que eles chegaram, começaram a orar para que estes novos messiânicos recebessem do Santo Espírito/Rukha Kod’shua, pois até então Ele não tinha vindo sobre nenhum deles, porque somente receberam a imersão no nome do Maoro’eh Yaohu’shua. 

17. Então Pedro/Kafos e João/Yaohu’khanan puseram as mãos sobre estes messiânicos e eles receberam do Santo Espírito/Rukha Kod’shua.

18. Quando Simão/Sham’ul viu isto: que o Santo Espírito/Rukha Kod’shua era dado quando os apóstolos punham as mãos sobre a cabeça das pessoas: Ofereceu dinheiro para comprar este poder.

19. Permitam que eu também tenha desse poder, exclamou ele, para que quando eu puser as mãos sobre as pessoas, elas recebam do Santo Espírito/Rukha Ko-d’shua! 

20. Mas Pedro/Kafos respondeu: Que o seu dinheiro morra com você, por pensar que o dom do ETERNO pode ser comprado! 

21. Você não pode ter parte nenhuma nisto, porque o seu coração não é correto diante do ETERNO. 

22-23. Se arrependa dessa grande maldade e ore ao CRIADOR, pedindo que ainda perdoe os seus maus pensamentos, pois eu posso ver que há grande amargura e tendência ao pecado no seu coração.

24. Orem por mim, exclamou Simão/Sham’ul, para que estas coisas terríveis não me aconteçam. 

25. Depois de pregar e dar testemunho em Shuamor’yaohuh, Pedro/Kafos e João/Yaohu’khanan voltaram a Yah’shua-oleym, parando em diversas aldeias samaritanas pelo caminho para pregar as Boas Novas sobre o nome lá também.

26. Mas quanto a Fylyp, um Anjo do ETERNO lhe disse: Vá para a estrada que leva de Yah’shua-oleym ao Deserto de Gaza (Azah). 

27. Ele fez assim e lá estava, descendo pela estrada, nada mais, nada menos que o tesoureiro da Etiópia, um oficial de grande autoridade sob as ordens da rainha Candace. Ele havia ido a Yah’shua-oleym adorar no Templo. 

28. Agora estava voltando na sua carruagem, lendo em voz alta o livro do profeta Yahshua’yaohuh.

29. O Santo Espírito/Rukha Kod’shua disse a Fylyp: Avance e caminhe ao lado da carruagem! 

30. Fylyp correu, ouviu o que ele estava lendo, e perguntou: O maoro’eh entende isso?

31. Claro que não! respondeu o homem, Como posso entender se não há ninguém para me ensinar? E ele pediu a Fylyp que subisse para a carruagem e se sentasse com ele!

32. O trecho da Escritura onde ele estava lendo, era este: Ele foi levado como uma ovelha para o matadouro, e como um cordeiro está quieto e mudo diante dos tosquiadores, assim Ele não abriu a boca; 

33. Na sua humilhação, negaram justiça a Ele; e quem pode exprimir a maldade do povo da sua geração? Pois a vida dEle é tirada da terra.

34-35. O oficial perguntou a Fylyp: Isaías/Yahshua’yaohuh estava falando a respeito de si mesmo, ou de algum outro? Então Fylyp começou com esta mesma Escritura a falar a respeito de Yaohu’shua.

36-37. Enquanto viajavam, chegaram à uma porção de água, e o oficial disse: Veja! Água! Por que eu não posso ser imerso? Você pode, respondeu Fylyp, se crê de todo o seu coração. E o oficial respondeu: Eu creio que Yaohu’shua hol’Mehushkyah é o Filho do ETERNO.

38. Ele parou o carro, os dois desceram para dentro d’água, e Fylyp o imergiu.

39. E quando saíram de dentro da água, o CRIADOR, em Espírito/RUKHÁ, levou Fylyp para outro lugar, e o oficial não o viu mais, porém continuou o seu caminho com alegria. 

40. Enquanto isso, Fylyp descobriu que estava em Azoto! Pregou as Boas Novas sobre o nome ali e em cada cidade pelo caminho, à medida que caminhava para Cesaréia.

Atos 9

1-2. MAS SHA’UL, ameaçando por todos os lados e aflito para destruir todos os seguidores do Caminho, foi ao supremo sacerdote de Yah’shua-oleym, e pediu uma carta dirigida às sinagogas de Damasco, pedindo a cooperação delas na perseguição a todos os messiânicos que encontrasse lá, tanto homens como mulheres, para que pudesse trazer todos eles acorrentados a Yah’shua-oleym.

3. Quando estava se aproximando de Damasco nessa missão, de repente uma luz do céu caiu em cima de Sha’ul! 

4. Ele caiu no chão e ouviu uma voz dizendo: Sha’ul! Paulo/Sha’ul! Por que você está Me perseguindo?

5. Quem é que está falando, perguntou Paulo/Sha’ul. E a voz respondeu: Eu sou Yaohu’shua, aquele que você está perseguindo! 

6. Agora se levante, entre na cidade, e lá espere minhas próximas instruções.

7. Os homens que estavam com Paulo/Sha’ul ficaram mudos de tanta surpresa, porque ouviram o som da voz de alguém, mas não viram ninguém! 

8-9. Quando Paulo/Sha’ul se levantou do chão, descobriu que estava cego. Teve de ser conduzido para Damasco e esteve lá três dias cego; ficou sem comida e sem água todo aquele tempo.

10. Ora, havia em Damasco um crente chamado Anan’yah. O CRIADOR falou com ele numa visão, chamando: Anan’yah! Pronto CRIADOR! respondeu ele.

11. O CRIADOR disse: Vá à Rua Direita e procure a casa de um homem chamado Judas/Yaou’dah; lá pergunte por Paulo/Sha’ul de Tarso. Ele está orando a Mim agora mesmo, porque... 

12. Eu lhe mostrei numa visão um homem chamado Anan’yah/Anan’yah entrando e pondo as mãos sobre ele, para que possa ver novamente! 

13. Mas CRIADOR, exclamou Anan’yah, eu sei das terríveis coisas que este homem vem fazendo aos santos em Yah’shua-oleym! 

14. E ouvimos que ele traz consigo ordens de prisão da parte dos sacerdotes principais, para todos os crentes de Damasco! 

15. Porém o CRIADOR disse: Vá fazer o que Eu digo, porque Paulo/Sha’ul é o meu instrumento escolhido para levar a minha mensagem às nações e diante de reis, tanto como ao povo de Yaoshor’ul. 

16. E Eu mostrarei a ele quanto deve sofrer por Mim.

17. Então Anan’yah/Anan’yah foi, encontrou Paulo/Sha’ul em casa, pôs as mãos sobre ele, e disse: Irmão Paulo/Sha’ul, o Maoro’eh Yaohu’shua, que apareceu a você na estrada, me enviou para que você possa ficar cheio do Santo Espírito/Rukha Kod’shua e recupere a sua vista.

18. No mesmo instante (foi como se tivessem caído escamas dos olhos dele) Paulo/Sha’ul pôde enxergar, e foi imerso imediatamente. 

19-20. Então ele comeu e ficou forte novamente. Permaneceu com os discípulos em Damasco alguns dias, e foi para a sinagoga, a fim de contar a todo o mundo ali as Boas Novas sobre o nome de Yaohu’shua, que Ele é verdadeiramente o Filho do ETERNO!

21. E todos os que ouviam Paulo/Sha’ul, ficavam maravilhados. Este não é o mesmo homem que perseguia tão ferozmente os seguidores de Yaohu’shua em Yah’shua-oleym, perguntavam eles. E nós sabemos que ele veio aqui para prender a todos e levar acorrentados aos sacerdotes principais.

22. Paulo/Sha’ul tornava-se cada vez mais animado na sua pregação, e os yaohu’dins de Damasco não podiam resistir às suas provas de que Yaohu’shua era verdadeiramente o hol’Mehushkyah.

23. Depois de algum tempo os líderes yaohu’dins resolveram matá-lo. 

24. Mas Paulo/Sha’ul foi informado dos planos deles, de que estavam vigiando os portões da cidade dia e noite, preparados para assassiná-lo. 

25. Então, durante a noite alguns dos discípulos desceram Paulo/Sha’ul num cesto através de uma janela no muro da cidade!

26. Ao chegar a Yah’shua-oleym, ele tentou encontrar-se com os messiânicos, porém estavam todos com medo dele. Pensavam que estava fingindo! 

27. Então Barnabé/Bornaví levou Paulo/Sha’ul aos apóstolos e contou como ele havia visto UL no caminho de Damasco; o que o CRIADOR havia dito, e tudo a respeito da sua poderosa pregação no nome de Yaohu’shua. 

28. Assim foi que eles receberam Paulo/Sha’ul, e depois disto ele estava constantemente com os messiânicos. 

29. Pregava corajosamente no nome do CRIADOR. Foi então que alguns dos yaohu’dins de língua grega, com os quais ele tinha estado discutindo, conspiraram para matar Paulo/Sha’ul. 

30. Contudo, quando os outros crentes souberam deste perigo, levaram o apóstolo a Cesaréia e o mandaram à sua terra natal: Tarso.

31. Enquanto isso, a igreja tinha paz em toda a Yaohu’dah, Galiléia/ha’Galil e Samaria/Shuamor’yaohuh, e crescia em força e em número. Os crentes aprendiam a andar no temor do ETERNO e na consolação do Santo Espírito/Rukha Kod’shua.

32. Pedro/Kafos viajava de um lugar para o outro a fim de visitar a todos, e em suas viagens chegou aos crentes na cidade de Lida. 

33. Ali ele encontrou um homem chamado Eneias, paralítico, e de cama havia oito anos.

34. Pedro/Kafos disse: Eneias! Yaohu’shua hol’ Mehushkyah curou você! Levante-se e faça a sua cama! E ele ficou curado no mesmo instante. 

35. Então a população inteira de Lida e de Sarona voltou-se para o ETERNO, quando viram Eneias andando de um lado para o outro.

36. Na cidade de Jope/Yaffó havia uma mulher chamada Tabita/Dorcas (Gazela), uma crente que estava sempre fazendo coisas bondosas pelos outros, especialmente pelos pobres. 

37. Por esse tempo ela ficou doente e morreu. Os amigos dela prepararam o sepultamento e puseram Dorcas numa sala elevada. 

38. Mas quando souberam que Pedro/Kafos estava por perto de Lida, mandaram dois homens pedir que voltasse sem demora com eles a Jope/Yaffó. 

39. Assim, fez ele: e logo que chegou, levaram Pedro/Kafos para cima, ao lugar onde Dorcas estava. A sala se encontrava cheia de viúvas que choravam e mostravam umas às outras os casacos e outras roupas que Dorcas tinha feito para elas. 

40. Mas Pedro/Kafos pediu que saíssem todos do aposento; e então se ajoelhou e orou. Voltando-se para o corpo, disse: Levante-se, Dorcas, e ela abriu os olhos! Quando viu a Pedro/Kafos, sentou-se! 

41. Pedro/Kafos deu-lhe a mão e ajudou Dorcas a levantar-se, chamou os crentes e as viúvas, apresentando-a a eles! 

42. A noticia correu por toda a cidade, e muitos creram no CRIADOR. 

43. Pedro/Kafos permaneceu muitos dias em Jope/Yaffó, morando com Simão/Sham’ul, o curtidor.

Atos 10

1. MORAVA EM CESARÉIA um oficial do exército romano, chamado Cornélio, comandante de um regimento italiano. 

2. Ele era um homem religioso que tinha fé no CRIADOR como também toda sua família. Praticava a caridade com boa vontade e era um homem de oração. 

3. Certa tarde ele teve uma visão, enquanto estava bem acordado: eram mais ou menos três da tarde: e nesta visão aparecia um ANJO DO ETERNO, que veio na direção dele. Cornélio! Disse o Anjo.

4. Cornélio ficou olhando para ele, cheio de medo. Que quer o maoro’eh/mestre, perguntou ao Anjo. O Anjo respondeu: As suas orações e suas obras de caridade foram observadas pelo CRIADOR! 

5-6. Agora mande alguns homens a Jope/Yaffó procurar Simão Pedro/Sham’ul Kafos, que está hospedado com Simão/Sham’ul, o curtidor, na beira da praia, e peça que venha visitar você.

7-8. Logo que o Anjo foi embora, Cornélio chamou dois dos criados da sua casa e um soldado piedoso da sua guarda pessoal, disse o que tinha acontecido e mandou todos a Jope/Yaffó.

9-13. No dia seguinte, quando eles se aproximavam da cidade, Káfos subiu ao terraço para orar. Era meio-dia e tinha fome, mas, enquanto se preparava o almoço, teve uma visão. Viu o céu aberto e um grande pano, pendurado pelos quatro cantos, pousar no chão. Dentro havia toda a espécie de animais quadrúpedes, serpentes e aves. Uma voz disse: MATA E COME QUALQUER DESTES ANIMAIS. 

14. Nunca, UL, declarou Káfos. Jamais comi o que quer que seja considerado impuro pelas nossas leis yaohu’dins. 

15. E a voz tornou dizendo-lhe: Não consideres impuro o que YAOHUH tornou limpo! 

16. A mesma visão repetiu-se três vezes! Depois o lençol foi puxado para o céu novamente! 

17-18. Pedro/Kafos ficou muito impressionado. “Que poderia significar a visão? Que deveria ele fazer?” Nesse exato momento os homens enviados por Cornélio haviam encontrado a casa e achavam-se do lado de fora do portão, perguntando se aquele era o lugar onde morava Simão Pedro/Sham’ul Kafos!

19. Nesse tempo, enquanto Pedro/Kafos estava tentando entender o significado da visão, o Santo Espírito/Rukha Kod’shua disse a ele: Chegaram aí três homens para falar com você. 

20. Desça para encontrar os três, e vá com eles. Vai tudo bem; fui Eu que mandei todos aí.

21. Assim Pedro/Kafos desceu. Eu sou o homem que vocês estão procurando, disse ele. E agora, que querem?

22. Então eles contaram a respeito do oficial romano Cornélio, homem bom e religioso, de bom nome entre os yaohu’dins, e como um ANJO tinha mandado aquele servos buscar a Pedro/Kafos e dizer que viesse e falasse a ele o que o CRIADOR queria que fosse feito.

23. Então Pedro/Kafos convidou os três para entrar e serem seus hóspedes aquela noite. No outro dia foi com eles, acompanhado por alguns outros crentes de Jope/Yaffó.

24. Chegaram a Cesaréia no dia seguinte. Cornélio estava esperando por ele, e havia reunido seus parentes e amigos íntimos para conhecerem a Pedro/Kafos. 

25. Quando Pedro/Kafos entrou na casa, Cornélio caiu ao chão diante dele em adoração.

26. Mas Pedro/Kafos disse: Levante-se! Eu não sou nenhum ídolo!

27. Então ele se levantou e os dois conversaram durante um momento, e depois entraram onde os outros estavam reunidos.

28. Pedro/Kafos falou: Vocês sabem que é contra as leis judaicas que eu entre na casa de um estrangeiro. Mas o CRIADOR me mostrou numa visão que eu nunca devo pensar que alguém é indigno de minha companhia. 

29. Por isso eu vim logo que fui procurado. Agora, digam o que querem. 

30. Cornélio respondeu: Há quatro dias eu estava orando como de costume, a esta hora da tarde, quando de repente um Homem estava em minha frente vestido com um manto brilhante! 

31. Ele me disse: ‘Cornélio, as suas orações foram ouvidas e as suas obras de caridade foram observadas pelo CRIADOR!’ 

32. ‘Mande agora alguns homens a Jope/Yaffó chamar Simão Pedro/Sham’ul Kafos que está na casa de Simão/Sham’ul, um curtidor, na beira da praia’. 

33. Por isso imediatamente eu mandei procurar o maoro’eh/mestre, que fez bem em vir tão depressa. E agora nós estamos aqui, esperando na presença do ETERNO, desejosos de ouvir o que Ele lhe ordenou que nos falasse! 

34. Então Pedro/Kafos respondeu: Vejo bem claramente que os yaohu’dins não são os únicos preferidos do CRIADOR. 

35. Em cada nação Ele tem aqueles que O adoram, praticam boas obras, e são aceitáveis a Ele. 

36-37. Tenho certeza de que vocês ouviram a respeito da Boa Nova para o povo de Yaoshor’ul: de que há paz com o ETERNO por meio de Yaohu’shua, o hol’Mehu-shkyah, que é o CRIADOR de toda a criação. Esta mensagem tem-se espalhado por toda a Yaohu’dah, começando com João/Yaohu’khanan, o Imersor, na Galiléia/ha’Galil. 

38. E vocês naturalmente sabem que Yaohu’shua, de entre os nazarenos, foi ungido pelo ETERNO com um Santo Espírito/Rukha Kod’shua e com poder; viveu fazendo o bem e curando todos os que estavam possessos de demônios, porque o ETERNO estava com Ele.

39. E nós, os apóstolos, somos testemunhas de tudo o que Ele fez em todo o Yaoshor’ul e em Yah’shua-oleym, onde foi morto numa cruz. 

40-41. Mas o ETERNO ressuscitou Seu Filho três dias depois e mostrou Yaohu’shua a certas testemunhas que o mesmo UL havia escolhido antes; não ao público em geral, porém a nós, que comemos e bebemos com Ele, depois que ressuscitou. 

42. E Ele nos mandou pregar as Boas Novas sobre o nome em toda parte e testemunhar que Yaohu’shua foi feito pelo CRIADOR, o Juiz dos vivos e dos mortos. 

43. E todos os profetas escreveram a respeito dEle, dizendo que todo aquele que crer em Yaohu’shua terá os seus pecados perdoados por meio do Seu Nome.

44. Quando Pedro/Kafos ainda estava falando estas coisas, o Santo Espírito/Rukha Kod’shua caiu sobre todos aqueles que estavam ouvindo a Palavra do ETERNO!

45. Os yaohu’dins que tinham ido com Pedro/Kafos ficaram admirados de que a dádiva do Santo Espírito/Rukha Kod’shua fosse destinada também aos não-yaohu’dins. 

46-47. Porém não podia haver dúvida sobre isto, porque eles os ouviram falar em novas línguas e louvar ao CRIADOR. Pedro/Kafos perguntou: Alguém pode deixar de querer que eu os emirja, agora que eles receberam do Santo Espírito/Rukha Kod’shua, como nós? 

48. Assim ele fez, e os imergiu no nome de Yaohu’shua, o Messias/hol’Mehushkyah. Depois disso Cornélio pediu para Pedro/Kafos ficar com eles diversos dias.

Atos 11

1. EM POUCO TEMPO chegou até os apóstolos e outros irmãos da Yaohu’dah a notícia de que muitos que não eram yaohu’dins também estavam se convertendo!

2. De modo que, quando Pedro/Kafos chegou de volta a Yah’shua-oleym, os crentes yaohu’dins discutiam com ele.

3. Você andou se misturando com estrangeiros, e até comeu com eles, acusavam.

4-7. Káfos, então, contou-lhes tudo: Um dia, estando eu a orar em Yaffó, tive uma visão: um pano enorme que descia do céu, seguro pelas quatro pontas. Dentro estavam animais quadrúpedes, répteis e aves de todas as espécies. E ouvi uma voz dizer: ‘Levanta-te, Káfos, mata e come-os’. 

8. ‘Nunca UL’, respondi, ‘jamais comi na minha vida qualquer coisa que fosse proibida ou impura’. 

9. Mas, a voz veio do céu pela segunda vez: ‘Não consideres impuro o que YAOHUH tornou limpo!’ 

10. Isto aconteceu três vezes, antes que o lençol e tudo o que ele continha subisse para dentro do céu. 

11. Bem nessa hora chegaram, na casa onde eu estava, três homens que tinham ido para levar-me com eles para Cesaréia! 

12. O Santo Espírito/Rukha Kod’shua me disse para ir com eles e não me preocupar com o fato de não serem yaohu’dins! Estes seis companheiros aqui me acompanharam, e logo chegamos à casa do homem que tinha mandado os mensageiros. 

13. Ele contou como um ANJO havia aparecido e tinha dito para mandar mensageiros a Jope/Yaffó e procurar Simão Pedro/Sham’ul Kafos! 

14. ‘Ele dirá como você e toda a sua família podem ser salvos!’ disse o Anjo.

15-17. Anunciei-lhes então a Mensagem do nome que trás salvação; mas, justamente ao começar falando, o Ru’kha Yaohu’shua (Yaohu’shua, em Espírito, onipresente) desceu sobre eles, tal como aconteceu conosco no princípio. Lembrei-me então das palavras de UL: ‘Sim, Yaohu’khanan imergiu com água, mas, vocês serão imersos no Santo Espírito/Rukha Kod’shua. Portanto, se YAOHUH lhes deu o mesmo dom que nos deu a nós que cremos no Maoro’eh Yaohu’shua hol’Mehushkyah, quem sou eu para discutir? 

18. Quando os outros ouviram isto, ficaram calmos e começaram a dar Glória ao CRIADOR! Sim, diziam, o CRIADOR concedeu também aos que não são yaohu’dins o privilégio de se voltarem para Ele e receberem a vida eterna! 

19. Enquanto isto, os crentes que fugiam de Yah’shua-oleym durante a perseguição depois da morte de Esteban viajaram até a Fenícia, Chipre/Cyprus e Antioquia, espalhando a Boa Nova, mas só aos yaohu’dins. 

20. Entretanto, alguns dos crentes, que foram de Chipre/Cyprus e de Cirene para Antioquia, apresentaram também a alguns gregos a sua mensagem a respeito do Maoro’eh Yaohu’shua. 

21. E o CRIADOR favoreceu este trabalho, de modo que um grande número destes não yaohu’dins se tornaram crentes.

22. Quando a igreja de Yah’shua-oleym soube o que tinha acontecido, mandaram Barnabé/Bornaví a Antioquia. 

23. Ao chegar e ver as maravilhosas coisas que o CRIADOR estava fazendo, ele ficou cheio de entusiasmo e de alegria, e animava os crentes a continuar firmes no CRIADOR. 

24. Barnabé/Bornaví era uma pessoa bem agradável, cheio do Santo Espírito/Rukha Kod’shua, e muito forte na fé. Como resultado, grande número de pessoas uniu-se ao CRIADOR.

25. Então Barnabé/Bornaví foi a Tarso em busca de Paulo/Sha’ul. 

26. Quando o encontrou, levou o amigo na volta para Antioquia; os dois ficaram lá um ano inteiro, ensinando a grande número de novos convertidos. (Foi ali em Antioquia que os crentes foram chamados messiânicos pela primeira vez).

27. Durante este tempo, chegaram a Antioquia alguns profetas vindos de Yah’shua-oleym. 

28. Um deles, chamado Ágabo, levantou-se numa das reuniões para profetizar pelo Espírito que uma grande fome estava para vir sobre a terra. (Isto aconteceu durante o reinado de Cláudio). 

29. Então os crentes resolveram mandar socorro aos irmãos da Yaohu’dah, e cada um deu o que podia. 

30. Isto eles fizeram, e entregaram seus donativos a Barnabé/Bornaví e Paulo/Sha’ul para levarem aos líderes da igreja de Yah’shua-oleym.


Atos 12

1-2. POR AQUELE TEMPO o rei Herod agiu contra alguns da igreja, e matou o apóstolo Tiago/Yaohu’kaf (irmão de João/Yaohu’khanan). 

3-4. Quando Herod viu que isto agradou aos líderes yaohu’dins, prendeu Pedro/Kafos durante a comemoração da Pósqayao, e o pôs na prisão, guardado por 16 soldados. A intenção de Herod era entregar Pedro/Kafos aos yaohu’dins para ser executado depois da Pósqayao. 

5. Porém durante todo o tempo em que ele estava na prisão, a igreja fazia ao CRIADOR uma fervorosa oração pela segurança dele.

6. Na noite antes da sua execução, ele estava dormindo, preso com duas correntes entre dois soldados, com outros montando guarda na frente do portão da cadeia, 

7. Quando de repente brilhou uma luz na cela e um Anjo do ETERNO se colocou ao lado de Pedro/Kafos! O Anjo acordou Pedro/Kafos e disse: Depressa! Levante-se! E as correntes caíram dos pulsos dele! 

8. Então o Anjo lhe disse: Vista-se e ponha os sapatos. Ele obedeceu. Agora vista o casaco e me siga! mandou o Anjo.

9. Então Pedro/Kafos deixou a cela, seguindo o Anjo. Mas o tempo todo ele pensava que era um sonho ou uma visão, e não acreditava que aquilo estivesse realmente acontecendo. 

10. Eles passaram o primeiro e o segundo postos de guarda, chegaram ao portão de ferro da rua, e este se abriu por si mesmo para eles! Então eles passaram e foram caminhando juntos um quarteirão, e ai o Anjo o deixou.

11. Pedro/Kafos finalmente percebeu o que tinha acontecido! É verdade mesmo, disse consigo. O CRIADOR enviou o Anjo dEle e me salvou de Herod e de tudo o que os yaohu’dins queriam me fazer! 

12. Depois de pensar um pouco, ele foi para a casa de Maria/Maoro’hem, mãe de Yaohu’khanan Marcus, onde muitos estavam juntos para uma reunião de oração.

13. Pedro/Kafos bateu no portão, e uma menina chamada Rode veio abrir. 

14. Quando ela reconheceu a voz dele, ficou tão contente que, em vez de abrir a porta, voltou correndo para dentro, a fim de contar a todos que Pedro/Kafos estava lá fora na rua! 

15. Eles não acreditaram nela. Você está fora do juízo, disseram. Quando ela insistiu, eles pensaram: Deve ser o Anjo dele.

16. Enquanto isso Pedro/Kafos continuava batendo! Quando finalmente foram e abriram a porta, a surpresa foi enorme. 

17. Ele fez-lhes sinal para ficarem quietos e contou o que tinha acontecido e como UL o havia tirado da prisão. Contem a Tiago/Yaohu’kaf e aos outros, o que aconteceu disse ele: e partiu para lugares mais seguros. 

18. Ao amanhecer, a prisão estava em grande alvoroço. Que aconteceu com Pedro/Kafos? 

19. Quando Herod mandou buscar o preso e soube que ele não estava lá, prendeu os 16 guardas que foram julgados por uma corte marcial e condenados à morte. Depois disso partiu e foi morar algum tempo em Cesaréia.

20. Enquanto Herod estava lá, chegou uma delegação de Tiro e Sidom para falar com ele. Herod estava muito zangado com o povo daquelas duas cidades, mas os delegados se fizeram amigos de Blasto, secretário real, e pediram paz, pois as cidades deles dependiam economicamente do comércio com o país de Herod. 

21 Herod concedeu uma entrevista, e quando chegou o dia, pôs as vestes reais, sentou-se no trono e fez um discurso para eles. 

22. Ao terminar, o povo fez uma grande aclamação, a ele, gritando: É a voz de um ídolo, e não de um homem! 

23. No mesmo instante, um Anjo do ETERNO feriu Herod com uma doença, de modo que ele ficou cheio de bichos e morreu: porque aceitou a adoração do povo, em lugar de dar Glória ao CRIADOR.

24. A Boa Nova do ETERNO estava se espalhando rapidamente e havia muitos novos crentes.

25. Barnabé/Bornaví e Paulo/Sha’ul por esse tempo visitaram Yah’shua-oleym e, logo terminaram sua missão, e voltaram a Antioquia, levando Yaohu’khanan Marcus com eles.

Atos 13

1. ENTRE OS PROFETAS e mestres da igreja de Antioquia estavam Barnabé/Bornaví e Simeão/Sham’ul (também chamado O Negro), Lúcio (de Cirene), Manaem, (irmão de criação do rei Herod), e Paulo/Sha’ul. 

2. Um dia, enquanto estes homens estavam em adoração e jejum, o Santo Espírito/Rukha Kod’shua disse: Separem Bornaví e Sha’ul para um trabalho especial que Eu tenho para eles. 

3. Então, depois de jejuar e orar mais, os homens puseram as mãos sobre eles: e mandaram os dois.

4. Dirigidos pelo Santo Espírito/Rukha Kod’shua, eles foram para a Seleucia e daí navegaram para Chipre/Cyprus. 

5. Na cidade de Salamina, foram à sinagoga judaica e pregaram a Palavra do ETERNO. (Yaohu’khanan Marcus ia com eles como ajudante).

6-7. Depois disso eles pregavam de lugar em lugar através da ilha toda, até que finalmente chegaram a Pafos, onde encontraram um feiticeiro judaico, um falso profeta chamado Bar’yeshua. Ele se fez amigo do governador Sérgio Paulo/Sha’ul, homem de grande inteligência. O governador convidou Barnabé/Bornaví e Paulo/Sha’ul, porque desejava ouvir a mensagem do ETERNO que eles levavam. 

8. Mas o feiticeiro Elymas (o nome dele em grego), intrometia-se e falava com o governador para não dar atenção ao que Paulo/Sha’ul e Barnabé/Bornaví diziam, tentando impedir Sérgio Paulo/Sha’ul de confiar no CRIADOR.

9. Então Paulo/Sha’ul, cheio do Santo Espírito/Rukha Kod’shua, olhou bem firme nos olhos do feiticeiro e disse: 

10. Seu filho do diabo, cheio de engano e maldade, inimigo de tudo o que é bom; você nunca vai deixar de querer perturbar os Caminhos do CRIADOR? 

11. E agora o CRIADOR pôs a sua mão de castigo em cima de você, que ficará cego por algum tempo. Imediatamente uma neblina e a escuridão caíram sobre ele, e começou a andar de um lado para o outro, pedindo que alguém pegasse em suas mãos, para ser guiado. 

12. Quando o governador viu o que tinha acontecido, acreditou e ficou espantado com o poder da mensagem do ETERNO.

13. Nisto Paulo/Sha’ul e os que estavam com ele deixaram Pafos em um navio para a Turquia, e aportaram na cidade de Perge. Ali Yaohu’khanan Marcus se separou deles e voltou a Yah’shua-oleym. 

14. Mas Barnabé/Bornaví e Paulo/Sha’ul prosseguiram para Antioquia, cidade da Província da Pisídia.

15. No sábado/shabbós eles foram à sinagoga, para o culto. Depois das leituras de costume, dos Livros de Mehu’shua e dos Profetas, os responsáveis pelo culto mandaram a eles este recado: Irmãos, se vocês têm alguma palavra de instrução para nós, podem falar! 

16. Então Paulo/Sha’ul se levantou, cumprimentou a todos e começou a falar. Homens de Yaoshor’ul, disse ele, e todos os que estão aqui e respeitam ao CRIADOR,

17. O UL desta nação de Yaoshor’ul escolheu os nossos avós e cuidou deles no Egypto, conduzindo o povo gloriosamente para fora da escravidão em que estava. 

18. E sustentou todos durante 40 anos de viagem através do imenso deserto. 

19-20. Depois Ele destruiu sete nações em Canaan/Kena’anu, e deu o território delas como herança a Yaoshor’ul. Os juízes governaram uns 450 anos, e depois deles veio o profeta Shamu’ul.

21. Então o povo pediu um rei, e o CRIADOR deu a eles Saul/Sha’ul, (filho de Cis), homem da tribo de Benyamín, que reinou 40 anos. 

22. Mas o CRIADOR afastou Saul/Sha’ul do trono e colocou Da’oud, em lugar dele; o CRIADOR disse: ‘Da’oud (filho de Jessé/Yao’sh’ái) é um homem de acordo com o meu coração; ele Me obedecerá’. 

23. E uma pessoa da família do rei Da’oud, Yaohu’shua, é o Salvador de Yaoshor’ul prometido pelo CRIADOR! 

24. Porém antes da vinda dEle, João/Yaohu’khanan, o Imersor, pregou a necessidade de cada um em Yaoshor’ul voltar-se do pecado para o ETERNO e ser imerso. 

25. Quando estava terminando o seu trabalho, perguntou: ‘Vocês pensam que eu sou o Messias/hol’Mehu-shkyah? Não! Porém vem logo: e em comparação com Ele, eu não sou digno nem de ser escravo dEle’.

26 Irmãos: vocês que são filhos de Abrul’han, e também todos vocês, não yaohu’dins presentes aqui que respeitam ao CRIADOR: esta salvação é para todos nós! 

27. Os yaohu’dins de Yah’shua-oleym e os seus líderes cumpriram a profecia e mataram Yaohu’shua; pois eles não O reconheceram, nem perceberam que Ele era aquele sobre quem os profetas tinham escrito, embora ouvissem a leitura dos profetas todas as semanas, na sinagoga. 

28. Eles não encontraram motivo justo para matá-lo, mas pediram a Pilatos que O matasse de qualquer maneira. 

29. E quando tinham cumprido todas as profecias sobre a Sua morte, Ele foi tirado da cruz e posto num túmulo.

30. Porém o ETERNO ressuscitou Yaohu’shua (o CRIADOR)! 

31. E durante os poucos dias que se seguiram, Ele foi visto muitas vezes por aqueles que seguiam Yaohu’shua da Galiléia/ha’Galil a Yah’shua-oleym estes homens têm dado sempre testemunho público da Sua volta.

32-33. E agora eu e Barnabé/Bornaví estamos aqui para trazer esta Boa Nova a vocês: que a promessa do ETERNO aos nossos antepassados cumpriu-se em nosso próprio tempo, no qual o ETERNO trouxe Yaohu’shua de volta à vida. É disto que o Salmo Segundo está falando, quando diz a respeito de Yaohu’shua: ‘Hoje eu O honrei como meu Filho’.

34. Pois o ETERNO tinha prometido ressuscitar Yaohu’shua para não morrer mais. Isto é afirmado na Escritura, que diz: ‘Eu farei por Yaohu’shua a maravilhosa coisa que prometi a Da’oud’. 

35. Em outro Salmo ele explicou mais completamente, dizendo: ‘o CRIADOR não permitirá que o Seu Santo seja comido pelos vermes’. 

36. Isto não era uma referência a Da’oud, porque depois que Da’oud serviu à geração dele de acordo com a vontade do ETERNO, morreu e foi sepultado, e seu corpo entrou em decomposição. 

37. Era uma referência a Yaohu’shua: Alguém que o ETERNO ressuscitou cujo corpo não foi de modo algum tocado pela destruição da morte.

38. Irmãos! Ouçam! Anunciamos que por meio de Yaohu’shua, há perdão para os pecados de vocês! 

39. Todo aquele que confia em Yaohu’shua fica livre de toda a culpa e é declarado justo: uma coisa que a lei judaica não pôde fazer. 

40. Oh, tomem cuidado! Não deixem que sejam aplicadas a vocês as palavras dos profetas! Porque eles disseram: 

41 ’Olhem e morram vocês, que desprezam a verdade, porque eu estou fazendo uma coisa na época de vocês uma coisa em que vocês não acreditarão quando ouvirem ser anunciada’.

42. Quando o povo deixou a sinagoga naquele dia, pediram a Paulo/Sha’ul que voltasse e falasse a eles novamente na semana seguinte. 

43. E muitos yaohu’dins e estrangeiros tementes ao CRIADOR, que adoravam na sinagoga, seguiram a Paulo/Sha’ul e Barnabé/Bornaví pela rua, enquanto os dois homens insistiam com eles para que aceitassem as misericórdias que o CRIADOR oferecia, 

44. Na semana seguinte quase toda a cidade compareceu para ouvir a pregação da Palavra do ETERNO.

45. Mas quando os líderes yaohu’dins viram as multidões, ficaram com inveja, praguejavam e falavam contra tudo o que Paulo/Sha’ul dizia.

46. Então Paulo/Sha’ul e Barnabé/Bornaví declararam corajosamente: Era necessário que esta Boa Nova que veio do ETERNO, primeiro fosse dada a vocês, os yaohu’dins. Mas já que vocês não aceitaram, e mostraram que não merecem a vida eterna: pois bem, nós ofereceremos a salvação aos das outras nações. 

47. Pois foi assim que o CRIADOR ordenou, quando disse: ‘Eu fiz de você uma luz para os outros povos, para guiar todos, dos mais distantes cantos da terra, até à minha salvação’.

48. Quando os não-yaohu’dins ouviram isto, ficaram muito contentes e se alegraram com a mensagem de Paulo/Sha’ul; e todos os que queriam a vida eterna, creram. 

49. Então, a mensagem do CRIADOR espalhava-se por toda aquela região.

50. Mas os líderes yaohu’dins revoltaram, tanto as mulheres piedosas de posição como os líderes civis da cidade, e provocaram uma perseguição contra Paulo/Sha’ul e Barnabé/Bornaví; e, os expulsaram da cidade. 

51. Porém eles sacudiram o pó dos pés contra aquele lugar, e foram para a cidade de Icônio. 

52. E os novos crentes estavam repletos de alegria e do Santo Espírito/Rukha Kod’shua.

Atos 14

1. EM ICÔNIO, Paulo/Sha’ul e Barnabé/Bornaví foram juntos à sinagoga e pregaram com tal poder que muitos creram: tanto yaohu’dins como estrangeiros.

2. Mas os yaohu’dins que desprezaram a mensagem do CRIADOR despertaram desconfiança contra Paulo/Sha’ul e Barnabé/Bornaví entre os que eram estrangeiros, dizendo contra os dois toda sorte de coisas ruins. 

3. Apesar disso, eles ficaram lá um longo tempo, pregando corajosamente, e o CRIADOR dava provas de que a mensagem deles vinha mesmo do ETERNO, dando aos dois o poder de fazer grandes sinais e maravilhas. 

4. Mas o povo da cidade ficou dividido em sua opinião sobre eles. Uns concordavam com os líderes yaohu’dins, e outros apoiavam os apóstolos. 

5-7. Quando Paulo/Sha’ul e Barnabé/Bornaví souberam de um golpe para provocar uma revolta de estrangeiros, de yaohu’dins e seus líderes contra eles, fugiram para salvar a vida, e foram para as cidades de Licaônia, Listra, Derbe e a região próxima, e pregavam as Boas Novas sobre o nome por ali.

8. Enquanto eles estavam em Listra, descobriram um homem paralítico dos pés, que era assim desde que nasceu, e por isso nunca havia andado. 

9. Ele estava ouvindo Paulo/Sha’ul pregar; Paulo/Sha’ul olhou bem para ele e viu que tinha fé para ser curado! 

10. Então Paulo/Sha’ul gritou para ele: Levante-se! E o homem pulou sobre os pés e começou a caminhar!

11. Quando a multidão que ouvia, viu o que Paulo/Sha’ul tinha feito, gritou na língua deles: Estes homens são ídolos que vieram em corpo humano! 

12. A conclusão deles era que Barnabé/Bornaví era o ídolo grego Júpiter, e que Paulo/Sha’ul, por ser o principal orador, era Mercúrio! 

13. O sacerdote do Templo local de Júpiter, situado na frente dos portões da cidade, trouxe carros cheios de flores para eles, oferecendo bois em sacrifício à porta do Templo, diante do povo.

14. Mas quando Barnabé/Bornaví e Paulo/Sha’ul viram o que estava acontecendo, de espanto rasgaram as roupas e correram para o meio do povo, gritando: 

15. Homens! Que estão fazendo? Nós somos simplesmente seres humanos como vocês! Nós viemos trazer as Boas Novas sobre o nome de que vocês são convidados a abandonar a adoração destas coisas sem valor e em lugar disto orar ao UL vivo que fez o céu, a terra, o mar, e tudo o que há neles. 

16-17. Nos dias passados Ele permitiu às nações seguirem os seus próprios caminhos, mas nunca Se deixou a Si mesmo sem testemunho; sempre houve as coisas que lembravam a existência dEle: as coisas boas que Ele fazia, tais como mandar a chuva e boas colheitas, e dar a vocês alimento e alegria.

18. Mas mesmo assim, só a muito custo Paulo/Sha’ul e Barnabé/Bornaví puderam impedir que o povo oferecesse sacrifício a eles!

19. Todavia, chegaram de Antioquia e Icônio alguns yaohu’dins, que transformaram o povo numa multidão assassina, que apedrejou Paulo/Sha’ul e o arrastou para fora da cidade, parecendo morto! 

20. Mas, enquanto os crentes rodeavam Paulo/Sha’ul, ele se levantou e entrou novamente na cidade! E no outro dia partiu com Barnabé/Bornaví para Derbe. 

21-22. Depois de pregar as Boas Novas sobre o nome ali, e de fazer muitos discípulos, eles voltaram a Listra, Icônio e Antioquia, lugares onde ajudaram os crentes a crescer no amor ao CRIADOR, e uns pelos outros. Eles animaram todos a continuar na fé, apesar da perseguição, lembrando a eles que deviam entrar no Reino do ETERNO através de muitos sofrimentos. 

23. Sha’ul e Bornaví também nomearam líderes em cada igreja e oraram por eles com jejum, entregando todos ao cuidado do CRIADOR, em quem confiavam.

24-25. Então viajaram de volta a Panfília, através da Pisídia, pregaram outra vez em Perge, e prosseguiram para Atália.

26. Finalmente voltaram de navio para Antioquia, onde a viagem deles tinha começado, e onde tinham sido consagrados ao CRIADOR para a obra que agora estava terminada.

27. Ao chegar, eles convocaram a igreja e deram um relatório da viagem, contando como UL tinha aberto a porta da fé também aos das outras nações. 

28. E permaneceram lá, com os crentes de Antioquia, durante um longo tempo.

Atos 15

1. ENQUANTO SHA’UL e Barnabé/Bornaví estavam em Antioquia, chegaram uns homens da Yaohu’dah e começaram a ensinar aos crentes que, se eles não seguissem o antigo costume judaico da cerimônia da circuncisão, não podiam ser salvos. 

2. Paulo/Sha’ul e Barnabé/Bornaví debateram e discutiram isto com eles até cansar, e por fim os crentes enviaram dois a Yah’shua-oleym, acompanhados de alguns homens do lugar, para falar aos apóstolos e principais líderes de lá a respeito desta questão. 

3. Depois que a igreja inteira acompanhou os dois até fora da cidade, os que iam representá-los em Yah’shua-oleym prosseguiram, parando pelo caminho nas cidades da Fenícia e de Samaria/Shuamor’yaohuh para visitar os messiânicos, e contar-lhes - para intensa alegria de todos que também os não-yaohu’dins estavam se convertendo.

4. Ao chegar a Yah’shua-oleym, eles se encontraram com os líderes da igreja: todos os apóstolos e líderes estavam presentes: e Paulo/Sha’ul e Barnabé/Bornaví contaram o que o CRIADOR estava fazendo por meio do trabalho deles. 

5. Foi então que alguns dos homens que tinham sido fariseus antes de se converterem, puseram-se de pé e declararam que todos os estrangeiros convertidos deviam ser obrigados a seguir todos os costumes e cerimônias dos yaohu’dins, incluindo a circuncisão. 

6. Por isso os apóstolos e os líderes da igreja marcaram uma nova reunião para decidir esta questão.

7. Nesta reunião, depois de longa discussão, Pedro/Kafos levantou-se e dirigiu a palavra a eles, dizendo o seguinte: Irmãos, todos vocês sabem que o CRIADOR há muito tempo me escolheu para pregar as Boas Novas sobre o nome aos estrangeiros, a fim de que eles também pudessem crer. 

8. O CRIADOR, que conhece os corações dos homens, confirmou o fato de que Ele aceita também os que não são yaohu’dins ao dar a estes do Santo Espírito/Rukha Kod’shua, tal como Ele deu a nós. 

9. E não fez distinção entre nós e eles, porque purificou a vida deles por meio de fé, tal como fez com a nossa. 

10. E agora vocês vão corrigir ao CRIADOR, sobrecarregando os não yaohu’dins com um jugo que nem nós, nem os nossos pais, foram capazes de suportar? 

11. Vocês não crêem que todos são salvos do mesmo modo, pelo Maoro’eh Yaohu’shua, que foi dado de graça à humanidade?

12. Não houve mais discussão, e todo mundo agora ouvia, enquanto Barnabé/Bornaví e Paulo/Sha’ul falavam a respeito dos milagres que o CRIADOR tinha feito por meio deles entre os estrangeiros.

13. Quando eles terminaram, Tiago/Yaohu’kaf tomou a palavra. Irmãos, disse ele, ouçam-me: 

14. Pedro/Kafos falou a vocês a respeito da ocasião em que o CRIADOR primeiramente visitou as nações a fim de separar dentre elas um povo para fazer honra ao Seu Nome. 

15. E este fato da conversão destes povos concorda com o que os profetas predisseram. Por exemplo, ouçam estas palavras do profeta Am’oz: 

16. ’Depois disto’ (diz o CRIADOR)’, Eu voltarei e renovarei o contrato feito com Da’oud, o qual tinha sido quebrado’. 

17. ‘Para que também os estrangeiros: todos aqueles marcados com o MEU NOME: encontrem UL’HIM.

18. É isto que o CRIADOR diz, pois Ele revela os seus planos feitos desde o principio.

19. Portanto, a minha opinião é que nós não devemos insistir que os estrangeiros que se convertem ao CRIADOR devam obedecer às leis judaicas. 

20. Devemos apenas escrever a eles para que deixem de comer carne sacrificada aos ídolos, de toda fornicação, e deixem também de comer carne de animais estrangulados sem sangrar. 

21. Porque se tem pregado contra estas coisas nas sinagogas judaicas em cada cidade todos os dias de culto, durante muitas gerações.

22. Então os apóstolos, os líderes e toda a igreja resolveram mandar representantes a Antioquia juntamente com Paulo/Sha’ul e Barnabé/Bornaví, para informar sobre esta decisão. Os homens escolhidos foram dois dos líderes da igreja: Judas/Yaou’dah (também chamado Barsabás) e Silas/Silo’yah.

23. Esta foi a carta que eles levaram consigo: De: Os apóstolos, os líderes e os irmãos de Yah’shua-oleym. Para: Os irmãos não-yaohu’dins de Antioquia, Syria e Cilícia. Saudações! 

24. Soubemos que alguns crentes daqui têm perturbado vocês e duvidado de sua salvação, porém eles não tinham tais instruções de nossa parte. 

25. Portanto, pareceu-nos sábio (concordamos na nossa decisão geral) de mandar a vocês estes dois representantes oficiais, juntamente com os nossos amados Barnabé/Bornaví e Paulo/Sha’ul. 

26. Estes homens: Judas/Yaou’dah e Silas/Silo’yah, que têm arriscado a vida pela causa do nosso Maoro’eh Yaohu’shua hol’Mehushkyah: confirmarão pessoal-mente o que decidimos a respeito da pergunta de vocês. 

27-29. Porque pareceu bem ao Santo Espírito/Rukha Kod’shua, e a nós, não pôr em cima de vocês um peso maior das leis judaicas, além de se guardarem de usar comida oferecida aos ídolos, da carne de animais estrangulados sem sangrar e, naturalmente, da fornicação. Se vocês fizerem isso, é o bastante. Shua’oléym.

30. Os quatro mensageiros foram imediatamente para Antioquia, onde convocaram uma reunião e entregaram a carta.

31. Houve uma grande alegria em toda a igreja no dia em que a carta foi lida.

32. Yaou’dah e Silas/Silo’yah que eram também profetas, falaram muita coisa aos crentes, fortalecendo-lhes a fé. 

33. Permaneceram diversos dias, e depois Judas/Yaou’dah e Silas/Silo’yah voltaram a Yah’shua-oleym, levando saudações e gratidão a todos de lá. 

34-35. Paulo/Sha’ul e Barnabé/Bornaví permaneceram em Antioquia para ajudar a diversos outros que estavam pregando e ensinando ali a Palavra do CRIADOR.

36. Alguns dias depois Paulo/Sha’ul sugeriu a Barnabé/Bornaví que voltassem pela Turquia novamente, e visitassem cada cidade onde eles haviam pregado a Palavra do CRIADOR antes, para ver como os novos convertidos estavam andando. 

37. Barnabé/Bornaví concordou, mas queria levar Yaohu’khanan Marcus com eles. 

38. Porém Sha’ul não gostou nada daquela idéia, porque João/Yaohu’khanan os havia abandonado em Panfília. 

39. O desentendimento deles em torno disto foi tão sério que se separaram. Barnabé/Bornaví levou Marcus consigo, e navegou para Chipre/Cyprus. 

40-41. Mas Paulo/Sha’ul escolheu Silas/Silo’yah, e com a bênção dos crentes partiu para a Syria e a Cilícia, a fim de animar as igrejas de lá.

Atos 16

1-2. SHA’UL E SILAS foram primeiro a Derbe e daí para Listra, onde encontraram Timóteo/Yaohu’tam, um crente que tinha mãe yaohudáh cristã, mas o pai era grego. 

2. Timóteo/Yaohu’tam era respeitado pelos irmãos de Listra e de Icônio, e por isto Paulo/Sha’ul pediu que ele participasse da viagem com eles. Em atenção aos yaohu’dins da região, ele circuncidou Timóteo/Yaohu’tam antes de partirem, pois todos sabiam que o pai dele era grego, e não havia permitido isso antes. 

4. Então eles iam de cidade em cidade, comunicando a decisão a respeito dos não-yaohu’dins tomada pelos apóstolos e os líderes da igreja em Yah’shua-oleym. 

5. E assim a igreja crescia diariamente na fé e em número.

6. Logo depois eles viajaram através da Frígia e da Galutyah, porque o Santo Espírito/Rukha Kod’shua havia dito para eles não entrarem na província turca da Ásia para pregar naquela ocasião. 

7. Por isso eles foram pelas fronteiras da Mísia até o Norte, na província de Bitínia, porém uma vez mais o Espírito de Yaohu’shua disse que não. 

8. Portanto, em lugar disso, eles foram através da província da Mísia à cidade de Trôade.

9. Naquela noite Paulo/Sha’ul teve uma visão. Em seu sonho ele viu um homem lá na Macedônia, na Grécia, suplicando: venha para cá ajudar-nos. 

10. Ora, aquilo decidiu a questão. Nós tínhamos de ir à Macedônia, porque só podíamos concluir que o CRIADOR estava nos mandando para pregar as Boas Novas sobre o nome ali.

11-12. Embarcamos num navio em Trôade, e navegamos diretamente para a Samotrácia, e no outro dia para Neápolis, finalmente alcançamos Fylypsiyah, numa colônia romana, já dentro das fronteiras da Macedônia; e permanecemos ali diversos dias.

13. No sábado/shabbós, fomos um pouco para fora da cidade, à margem do rio, onde julgávamos que algumas pessoas se reuniam para oração; e ensinamos as Escrituras a algumas mulheres que chegaram. 

14. Uma delas era Lídia, uma vendedora da cidade de Tiatira, que negociava com fazenda de púrpura. Ela já era uma adoradora do ETERNO, e quando nos ouviu, o CRIADOR abriu seu coração e ela aceitou tudo o que Paulo/Sha’ul estava falando. 

15. Ela foi imersa, com toda a família, e nos pediu que ficássemos como seus hóspedes. Se vocês concordam que eu sou fiel ao CRIADOR, disse ela, venham ficar em minha casa. E ela insistiu, até que fomos.

16. Um dia, quando estávamos descendo ao lugar de oração na beira do rio, encontramos uma moça escrava, possessa de demônio, que era adivinha, e ganhava muito dinheiro para os seus donos. 

17. Ela seguia atrás de nós, gritando: Estes homens são servos do UL Altíssimo e vieram contar a vocês como obter perdão para os seus pecados.

18. Isto continuou um dia depois do outro, até que Paulo/Sha’ul, já muito aborrecido, voltou-se e falou ao demônio que estava nela: Eu lhe ordeno, em nome de Yaohu’shua hol’Mehushkyah, que saia dela, disse ele. E o demônio deixou a moça imediatamente.

19. Com isso acabaram as esperanças de riqueza dos donos dela; eles então agarraram Paulo/Sha’ul e Silas/Silo’yah e o arrastaram à presença dos juízes, na praça do mercado.

20-21. Estes yaohu’dins estão perturbando a nossa cidade, clamavam eles. Estão ensinando o povo a fazer coisas contrárias às leis romanas.

22. Logo formou-se uma revolta popular contra Paulo/Sha’ul e Silas/Silo’yah, e os juízes ordenaram que tirassem a roupa deles e batessem com varas. 

23-24. De golpe em golpe as varas iam ferindo as costas nuas deles, fazendo brotar o sangue; e depois disto eles foram jogados no cárcere. O carcereiro foi ameaçado de morte se eles escapassem e por isso não facilitou, e os pôs no cárcere interno com os pés apertados nos troncos.

25-26. Ao redor do meio da noite, enquanto Paulo/Sha’ul e Silas/Silo’yah estavam orando e cantando hinos ao CRIADOR: e os outros presos estavam ouvindo – de repente houve um grande terremoto; a prisão foi sacudida até os alicerces, todas as portas se abriram de repente: e as correntes de todos os presos caíram! 

27. O carcereiro acordou e ao ver as portas abertas, julgou que os presos haviam fugido e por isso puxou a espada para matar-se.

28. Mas Paulo/Sha’ul gritou para ele: Não faça isso! Todos nós estamos aqui! 

29. Tremendo de medo, o carcereiro pediu uma luz, correu para dentro do cárcere e caiu diante de Paulo/Sha’ul e Silas/Silo’yah. 

30. Depois levou-os para fora e suplicou: Maoro’ehs, que devo fazer para ser salvo?

31. Eles responderam: Creia no Maoro’eh Yaohu’shua, e você será salvo, e a sua família inteira também.

32. Então contaram a ele e a toda a sua família as Boas Novas sobre o nome do CRIADOR. 

33. Naquela mesma hora ele lavou-lhes as feridas das chicotadas e em seguida foi imerso juntamente com a família toda. 

34. Depois levou-os para sua casa e serviu-lhes uma refeição. E como ele e a família sentiam alegria por serem todos crentes agora! 

35. Na manhã seguinte os juízes mandaram oficiais da polícia dizerem ao carcereiro: Solte esses homens! 

36. Então o carcereiro disse a Paulo/Sha’ul que eles estavam livres para ir embora.

37. Mas Paulo/Sha’ul respondeu: Isto, não! Eles nos bateram publicamente sem julgamento e nos puseram no cárcere: e nós somos cidadãos romanos! Agora querem que vamos embora às escondidas? Nada disso! Que venham eles mesmos e nos soltem! 

38. Os oficiais da polícia informaram aos juízes, os quais temeram por suas próprias vidas, quando souberam que Paulo/Sha’ul e Silas/Silo’yah eram cidadãos romanos. 

39-40. E assim eles vieram ao cárcere, suplicaram a eles que saíssem, trouxeram para fora e rogaram-lhes que deixassem à cidade. Paulo/Sha’ul e Silas/Silo’yah então voltaram para a casa de Lídia, onde se encontraram com as crentes e pregaram mais uma vez, antes de deixarem à cidade.

Atos 17

1. ENTÃO ELES viajaram através das cidades de Anfípalis e Apalônia, e chegaram a Teslonikyah, ande havia uma sinagoga judaica. 

2. Como era costume de Paulo/Sha’ul, ele foi lá pregar, e durante três semanas seguidas discutiu as Escrituras com o povo. 

3. Explicando as profecias a respeita dos sofrimentos do hol’Mehushkyah e da volta dEle à vida, provando que Yaohu’shua era o Messias/hol’Mehushkyah.

4. Alguns que ouviram acreditaram e se converteram, incluindo-se, um grande número de homens gregos piedosos, e também muitas mulheres importantes da cidade.

5. Mas os líderes yaohu’dins ficaram com inveja e animaram uns sujeitos maus das ruas a se revoltarem e atacarem a casa de Yah’som, pretendendo levar, Paulo/Sha’ul e Silas/Silo’yah ao Conselho da Cidade para serem castigados.

6. Como não encontraram os dois lá, em lugar deles arrastaram Yah’som e alguns dos outros crentes e levaram diante do Conselho: Paulo/Sha’ul e Silas/Silo’yah viraram o resto do mundo de cabeça para baixa, e agora estão aqui perturbando a nossa cidade, clamavam eles. 

7. E Yah’som deixou os dois entrarem em sua casa. Todos eles são culpados de traição, porque dizem que há um outro rei, Yaohu’shua, em lugar de César.

8-9. O povo da cidade, como também os juízes ficaram inquietos com estas informações, e só deixaram os acusados irem embora depois de pagar uma multa.

10. Naquela noite os messiânicos fizeram Paulo/Sha’ul e Silas/Silo’yah saírem depressa para Beréia; ali eles foram à sinagoga pregar. 

11. Entretanto o povo de Beréia tinha a mente mais aberta do que a de Teslonikyah, de modo que ouviram com mais interesse a mensagem. E investigavam dia a dia as Escrituras, para conferir as declarações de Paulo/Sha’ul e Silas/Silo’yah, a fim de ver se realmente elas eram assim. 

12. Como resultado, muitos deles creram, incluindo-se diversas mulheres gregas importantes: e também muitos homens.

13. Mas quando os yaohu’dins de Teslonikyah souberam que Paulo/Sha’ul estava pregando a Palavra do ETERNO em Beréia, foram para lá e criaram confusão. 

14. Os messiânicos agiram imediatamente, e enviaram Paulo/Sha’ul para a beira mar, enquanto Silas/Si-lo’yah e Timóteo/Yaohu’tam ficavam lá em Beréia. 

15. Aqueles que acompanhavam Paulo/Sha’ul seguiram com ele até Atenas, e depois voltaram a Beréia, com um recado para Silas/Silo’yah e Timóteo/Yaohu’tam andarem depressa e irem ao encontro dele.

16. Enquanto Paulo/Sha’ul estava esperando por eles em Atenas, sentia-se muitíssimo perturbado com todos os ídolos que via por toda parte, na cidade inteira. 

17. Ele ia à sinagoga para debater com os yaohu’dins e os estrangeiros devotos, e falava diariamente na praça pública a todos os que por acaso estivessem lá.

18. Paulo/Sha’ul teve também um debate com alguns dos filósofos epicureus e estóicos. A reação destes, quando ele falou de Yaohu’shua e da sua ressurreição, foi: É um sonhador; ou ele está fazendo propaganda de alguma religião estrangeira.

19. Porém eles convidaram Paulo/Sha’ul para ir ao fórum ao Monte de Marte: Venha nos falar mais a respeito desta nova religião, disseram, 

20. Pois você está dizendo umas coisas bem estranhas e nós queremos ouvir mais. 

21. (Eu devo explicar que todos os atenienses, bem como os estrangeiros de Atenas, pareciam gastar todo o seu tempo discutindo as últimas novidades!)

22. Então Paulo/Sha’ul, ficando de pé diante deles no fórum do Monte de Marte, falou assim: Homens de Atenas, eu noto que vocês são muito religiosos, 

23. Pois enquanto andava por aí, vi os muitos altares de vocês, e um deles tinha esta inscrição: ‘Ao UL desconhecido’. Vocês têm adorado ao CRIADOR sem saber quem Ele é, e agora eu quero falar a respeito dEle a vocês.

24-25. Ele fez o mundo e tudo o que nele há, e visto que é CRIADOR do céu e da terra, não mora em Templos feitos por homens, e mãos humanas não podem fazer nada por Ele, porque Ele não precisa disso! Ele mesmo dá a vida e a respiração a tudo, e satisfaz todas as necessidades que existem. 

26. Ele criou, partindo de um só homem, Adão/Adan, todas as pessoas do mundo, e espalhou as nações pela face da terra. Ele determinou previamente qual delas se levantaria e qual cairia, e quando. E determinou as fronteiras das nações.

27.O Seu objetivo em tudo isto foi que eles buscassem ao CRIADOR, e andassem ainda que às apalpadelas em direção a Ele, para conseguir encontrar, embora Ele não esteja longe de nenhum de nós. 

28. Porque nEle nós vivemos, e nos movemos, e existimos! Como diz um dos próprios poetas de vocês: ‘Nós somos filhos do ETERNO’.

29. Se isto é verdade, não devemos imaginar o CRIADOR como um ídolo de ouro, ou de prata, ou feito na pedra, pelos homens. 

30. O CRIADOR tolerou a ignorância passada do homem a respeito destas coisas, mas agora Ele ordena a todo mundo que se arrependa e jogue fora os ídolos e adore somente a Ele. 

31. Porque determinou um dia para julgar com justiça o mundo por meio do Homem que Ele destinou, e já mostrou quem é ao ressuscitar Yaohu’shua.

32. Quando ouviram Paulo/Sha’ul falar da ressurreição de uma pessoa que esteve morta, alguns riram, mas outros disseram: Outro dia nós queremos ouvir mais a respeito disso. 

33. Com isto terminou a discussão de Paulo/Sha’ul com eles. 

34. Mas uns poucos se juntaram a ele e creram em hol’Mehushkyah. Entre estes estava Dionísio, membro do Conselho da cidade, uma mulher chamada Damaris, e outros mais.

Atos 18

1. ENTÃO SHA’UL deixou Atenas e foi para Qorintyah. 

2-3. Ali ele se tornou conhecido de um judaico chamado Áquila, natural do Ponto, que tinha chegado recentemente da Itália com sua esposa Priscila. Eles tinham sido expulsos da Itália por causa da ordem de Cláudio César, de expulsar todos os yaohu’dins de Roma. Paulo/Sha’ul morou e trabalhou com eles, pois eram fabricantes de tendas, tal como ele.

4. Cada sábado/shabbós Paulo/Sha’ul estava na sinagoga, procurando convencer tanto os yaohu’dins como os gregos. 

5. E depois que Silas/Silo’yah e Timóteo/Yaohu’tam chegaram da Macedônia, Paulo/Sha’ul gastava todo o tempo dele pregando e dando testemunho aos yaohu’dins de que Yaohu’shua é o Messias/hol’Mehu-shkyah. 

6. Mas quando os yaohu’dins foram contra ele e blasfemaram, atirando insultos contra Yaohu’shua, Paulo/Sha’ul sacudiu o pó da roupa e disse: A culpa de vocês seja sobre sua própria cabeça: eu sou inocente, e de agora em diante pregarei aos estrangeiros.

7. Depois disso ele ficou com Tício Justo que adorava ao CRIADOR e morava vizinho à sinagoga. 

8. Crispo, o líder da sinagoga, e toda a família dele, creram no CRIADOR e foram imersos: como foram muitos outros em Qorintyah.

9. Certa noite o CRIADOR falou a Paulo/Sha’ul numa visão e disse: Não tenha medo! Fale! Não desista! 

10. Pois Eu estou com você, e ninguém pode lhe fazer nenhum mal. Muita gente aqui nesta cidade Me pertence. 

11. Então Paulo/Sha’ul permaneceu ali um ano e meio, ensinando as verdades do ETERNO.

12. Mas quando Gálio tornou-se governador da Acaia, os yaohu’dins se levantaram numa ação coletiva contra Paulo/Sha’ul, e o levaram diante do governador, para ser processado. 

13. Acusaram Paulo/Sha’ul de convencer os homens a adorar ao CRIADOR de maneiras contrárias à lei romana. 

14-15. Mas logo que Paulo/Sha’ul começou a fazer a sua defesa, Gálio voltou-se para os acusadores dele e disse: Olhem a aqui, yaohu’dins, se isto fosse um caso envolvendo algum crime, eu seria obrigado a escutar vocês, mas já que é simplesmente um punhado de questões sobre sentido e palavras, sobre personagens, e sobre as tolices dessas suas leis judaicas, cuidem vocês mesmos disso. Eu não estou interessado, e não quero tratar disso. 

16-17. E ele o expulsou da sala do tribunal. Então a multidão agarrou Sóstenes, o novo líder da sinagoga, e o espancou do lado de fora do tribunal! Porém Gálio não se importou com nada.

18. Paulo/Sha’ul permaneceu na cidade muitos dias depois disso; então se despediu dos messiânicos e navegou par a costa da Syria, levando Priscila e Áquila com ele. Em Cencréia, Paulo/Sha’ul mandou rapar a cabeça, de acordo com os costumes yaohu’dins, porque havia feito um voto. 

19. Ao chegar ao porto de Efsiyah, ele nos deixou a bordo do navio, enquanto ia à sinagoga para uma palestra com os yaohu’dins. 

20. Eles pediram que permanecesse por uns poucos dias, porém ele achava que não podia perder tempo.

21. Eu preciso de qualquer maneira estar em Yah’shua-oleym para o feriado, disse ele. Porém prometeu voltar a Efsiyah depois, se o CRIADOR permitisse; e com isto velejamos novamente.

22. A escala seguinte foi o porto de Cesaréia, de onde ele visitou a igreja de Yah’shua-oleym e então navegou para Antioquia. 

23. Depois de gastar algum tempo ali, ele partiu para a Turquia outra vez, passando pela Galutyah e pela Frígia, em visita a todos os crentes, animando e ajudando todos a crescer no CRIADOR.

24. E aconteceu chegar a Efsiyah, vindo de Alexandria no Egypto, um judaico chamado Apolo, um admirável pregador e mestre das Escrituras. 

25-26. Era bem instruído no Caminho do CRIADOR, falava com entusiasmo e ensinava de modo correto a respeito de Yaohu’shua. Mas só conhecia a respeito da imersão de João/Yaohu’khanan. Quando Priscila e Áquila ouviram Apolo pregar na Sinagoga, o convidaram a ir à sua casa. Então explicaram, com mais detalhes, o que havia acontecido com Yaohu’shua.

27-28. Apolo estava querendo ir para a Grécia, e os crentes animaram o jovem para isto. Escreveram aos outros crentes de lá, dizendo que o recebessem. Quando ele chegou à Grécia, foi grandemente usado pelo CRIADOR para fortalecer a igreja, porque rejeitava com coragem em discussão pública todos os argumentos dos yaohu’dins, mostrando pelas Escrituras que Yaohu’shua é o verdadeiro hol’ Mehushkyah.

Atos 19

1. ENQUANTO APOLO estava em Qorintyah, Paulo/Sha’ul viajava pela Turquia e chegou a Efsiyah, onde encontrou diversos discípulos. 

2. Vocês receberam do Santo Espírito/Rukha Kod’ shua quando creram, perguntou-lhes Paulo/Sha’ul. Não, responderam, nós nem sabemos o que você quer dizer. Que é o Santo Espírito/Rukha Kod’shua?

3. Neste caso, que crenças vocês confessaram na sua imersão, perguntou ele.: Aquilo que João/Yaohu-khanan, o Imersor, ensinou, lhes disseram eles.

4. Então Paulo/Sha’ul mostrou-lhes como a imersão de João/Yaohu’khanan era a demonstração do desejo de voltar-se do pecado para o ETERNO, e que aqueles que recebiam a imersão dele deviam prosseguir e crer em Yaohu’shua, aquele que João/Yaohu’khanan disse que viria depois.

5. Logo que eles ouviram isto, foram imersos no nome do Maoro’eh Yaohu’shua. 

6. E depois, quando Paulo/Sha’ul pôs as mãos sobre a cabeça deles, o Santo Espírito/Rukha Kod’shua veio sobre eles, e falaram em outras línguas necessárias e também profetizaram. 

7. Os homens com quem aconteceu isto eram uns doze ao todo.

8. Então Paulo/Sha’ul foi à sinagoga e pregou corajosamente todas as semanas durante três meses, dizendo em quem ele tinha fé, e convencendo muitos a crer em Yaohu’shua. 

9. Porém alguns rejeitaram a mensagem dele e falaram publicamente contra hol’Mehushkyah; por causa disto ele saiu de lá, recusando-se a pregar novamente para eles. Depois tirou os crentes e começou uma reunião separada na sala de conferências de Tirano, pregando lá diariamente. 

10. Isto continuou pelos dois anos seguintes, de modo que todo mundo na província turca da Ásia: tanto yaohu’dins como gregos: Ouviu a mensagem do CRIADOR. 

11. E o CRIADOR fazia milagres extraordinários pelas mãos de Paulo/Sha’ul. 

12. De modo que até quando os lenços ou peças da roupa que ele usava eram levados para os doentes, eles ficavam curados, e os demônios que estavam neles saiam.

13. Um grupo de yaohu’dins viajantes que ia de lugar em lugar expulsando demônios, resolveu fazer uma experiência usando o nome do Maoro’eh Yaohu’shua. A frase mágica que eles decidiram utilizar, nos que eram possessos por espíritos malignos, era esta: Eu ordeno por Yaohu’shua, a quem Paulo/Sha’ul prega que saia! 

14. Quem estava fazendo isto eram os sete filhos de Cevá, um sacerdote judaico. 

15. Mas quando eles tentaram isso com um homem possesso de demônio, o demônio respondeu: Eu conheço Yaohu’shua e conheço Paulo/Sha’ul, mas quem são vocês? 

16. E o homem com o espírito mau saltou em cima de dois deles e os espancou, de modo que fugiram da casa dele, nus e muito feridos.

17. A história do que tinha acontecido espalhou-se rapidamente por toda Efsiyah, tanto entre os yaohu’dins como entre os gregos; e um grande medo desceu sobre a cidade, e o nome do Maoro’eh Yaohu’shua era grandemente reverenciado. 

18. Então muitos dos que creram confessavam em público as coisas más que tinham feito antes. 

19. Muitos dos crentes, que tinham praticado magia negra, confessaram as suas obras. Trouxeram seus livros de magia e bruxaria e os queimaram numa fogueira pública (Alguém calculou o valor dos livros em 50.000 denários: mais ou menos R$ 600.000,00). 

20. Isto demonstra como a região toda foi muito abalada pela Palavra do CRIADOR.

21. Depois disso, Paulo/Sha’ul sentiu-se impulsionado pelo Santo Espírito/Rukha Kod’shua a percorrer a Grécia antes de voltar a Yah’shua-oleym. E depois de lá, dizia ele, eu devo seguir para Roma! 

22. Assim Paulo/Sha’ul enviou Timóteo/Yaohu’tam e Erasto, seus dois ajudantes, à Grécia na sua frente, enquanto ele permanecia um pouco mais na Turquia.

23. Mas por aquele tempo, surgiu um enorme alvoroço em Efsiyah por causa dos messiânicos. 

24. Começou com Demétrio, um ourives que empregava muitos operários na fabricação de modelos de prata da deusa grega Diana. 

25. Ele convocou uma reunião dos seus homens, juntamente com outros empregados em ofícios parecidos, e disse: Cidadãos, este negócio é a nossa fonte de renda. 

26. Como vocês sabem muito bem, por aquilo que já viram e ouviram, este sujeito, Paulo/Sha’ul, convenceu a muita gente, mas muita mesmo, de que ídolos feitos por mãos humanas não são ídolos. Como resultado, o volume das nossas vendas está caindo! E esta tendência é evidente não apenas aqui em Efsiyah, mas na província toda! 

27. Naturalmente, eu não estou falando apenas sobre os aspectos comerciais desta situação e do nosso prejuízo, mas também da possibilidade de que o Templo da grande deusa Diana perca a sua influência, e de que Diana esta magnífica deusa adorada não somente em toda esta parte da Turquia mas ao redor do mundo todo: seja desprezada! 

28. Com isso a fúria deles aumentou e começaram a gritar: Grande é a Diana dos efésios.

29. Começou a juntar-se uma multidão e dai a pouco a cidade estava cheia de confusão. Todo mundo correu para o anfiteatro, e arrastaram com eles Gaio e Aristarco, companheiros de viagem de Paulo/Sha’ul, para processar todos eles. 

30. Paulo/Sha’ul queria entrar e falar ao povo, mas os discípulos não quiseram deixá-lo. 

31. Alguns dos oficiais romanos da província, amigos de Paulo/Sha’ul, mandaram também um recado a ele, suplicando-lhe que não arriscasse a vida entrando lá.

32. Dentro, o povo todo estava gritando, cada pessoa uma coisa diferente, estava tudo em confusão. Aliás, a maioria deles nem mesmo sabia por que estava ali.

33. Alguns yaohu’dins descobriram Alexandre no meio da multidão, empurrado para a frente. Ele fez sinal pedindo silêncio, e tentou falar. 

34. Mas quando a multidão percebeu que ele era judaico, todos começaram a gritar novamente, durante duas horas: Grande é a Diana dos efésios! Grande é a Diana dos efésios! 

35. Por fim o prefeito conseguiu silêncio e falou: Homens de Efsiyah, disse ele, todo mundo sabe que Efsiyah é o centro da religião da grande Diana, cuja imagem caiu do céu para nós. 

36. E já que isto é um fato sem discussão, vocês não devem ficar perturbados, digam o que disserem, e não devem fazer nada sem pensar primeiro. 

37. Todavia, vocês trouxeram aqui estes homens que não roubaram nada do Templo dela, nem difamaram a deusa. 

38. Se Demétrio e os operários têm queixa contra eles, os tribunais estão normalmente em sessão e os juízes podem cuidar do caso bem depressa. Deixem que eles tratem do assunto pelos meios legais. 

39. E se há queixas a respeito de outros assuntos, elas podem ser apresentadas nas reuniões regulares do conselho da cidade;

40. porque nós corremos o perigo de ser acusados pelo governo romano por causa deste tumulto de hoje, visto que não existe motivo para ele. E se Roma exigir uma explicação, eu nem sei o que dizer.

41. Com isto ele mandou todos embora e encerrou a reunião.

Atos 20

1-2. QUANDO TUDO aquilo tinha passado; Paulo/Sha’ul mandou chamar os discípulos, e os animou. Despediu-se e partiu para a Grécia, pregando e exortando os crentes pelo caminho, em todas as cidades por onde passava. 

3. Ele ficou na Grécia três meses e estava se preparando para navegar para a Syria, quando descobriu uma conspiração dos yaohu’dins contra a vida dele; por isso decidiu seguir primeiro em direção ao norte, para a Macedônia.

4. Diversos homens iam viajando com ele, e chegaram até à Ásia, na Turquia; eram eles: Sópatro de Beréia, filho de Pirro; Gaio, de Derbe; Aristarco e Secundo, de Teslonikyah; Timóteo/Yaohu’tam; e Tíquico e Trófimo, que moravam na Turquia, e estavam voltando para casa. 

5. Eles tinham ido na frente e estavam esperando por nós em Trôade. 

6. Logo que terminaram as comemorações da Pósqayao, nós embarcamos num navio em Fylypsiyah, no norte da Grécia, e cinco dias depois chegamos a Trôade, na Turquia, onde permanecemos uma semana.

7. No domingo nos reunimos para um culto de comunhão e Paulo/Sha’ul pregou. E visto que ele ia partir no dia seguinte, falou até no meio da noite! 

8. O cômodo do andar superior onde estávamos reunidos achava-se iluminado com muitas lâmpadas. 

9. E à medida que Paulo/Sha’ul falava sem parar, um rapaz chamado Êutico, que estava sentado no parapeito da janela, adormeceu profundamente, caiu da altura de três andares e morreu lá embaixo. 

10-12. Paulo/Sha’ul desceu e apanhou o moço nos braços. Não se assustem, disse ele, o rapaz está bem! E estava! Que onda de alegria cheia de temor percorreu a multidão! Todos eles subiram outra vez e alimentaram-se. E Paulo/Sha’ul pregou outro sermão comprido: de modo que era madrugada quando ele acabou! Depois partiu.

13. Paulo/Sha’ul foi por terra para Assôs, e nós prosseguimos de navio. 

14. Ele se ajuntou a nós em Assôs e navegamos juntos para Mitilene; 

15. No outro dia passamos por Quios; em seguida descemos em Samos; e um dia depois chegamos a Mileto.

16. Paulo/Sha’ul havia decidido não parar em Efsiyah desta vez, visto que estava se apressando para chegar a Yah’shua-oleym, se fosse possível, para a comemoração do Pentecoste. 

17. Mas quando o navio chegou a Mileto, ele mandou um recado aos líderes da igreja de Efsiyah pedindo que descessem ao barco para encontrar-se com ele.

18-19. Quando chegaram, ele falou: Vocês sabem que desde o dia em que pus o pé na Turquia até agora tenho feito humildemente o trabalho do CRIADOR: sim, e com lágrimas: e tenho enfrentado sério perigo das conspirações dos yaohu’dins contra a minha vida. 

20. Mesmo assim nunca fugi de falar a verdade a vocês, tanto publicamente como nas suas casas. 

21. Eu tenho tido só uma mensagem, tanto para os yaohu’dins como para os estrangeiros: a necessidade de se voltarem do pecado para o ETERNO, por meio da fé em nosso Maoro’eh Yaohu’shua hol’Mehushkyah.

22-23. E agora vou para Yah’shua-oleym, para lá mandado pelo Santo Espírito/Rukha Kod’shua, não sabendo o que me espera ali, a não ser que o Santo Espírito/Rukha Kod’shua me tem dito, de cidade em cidade, que eu tenho pela frente prisão e sofrimento’. 

24. Mas a vida não vale nada, a menos que eu viva para fazer a obra que o Maoro’eh Yaohu’shua me destinou: a obra de contar aos outros as Boas Novas sobre o nome e da graça e do amor do ETERNO.

25. E agora sei que nenhum de vocês, entre quem eu andei ensinando o Reino, jamais me verá outra vez. 

26-27. Quero lhes dizer claramente que a culpa pela perdição de alguém não pode ser lançada sobre mim, porque eu não deixei de contar a vocês toda a mensagem do ETERNO.

28. Agora, olhem por vocês próprios e pelo rebanho do Maoro’eh Yaohu’shua. O Santo Espírito/Rukha Kod’shua vos constituiu supervisores para alimentar a sua igreja (Oholyáo), que Ele comprou com o Seu próprio ‘sangue’ [dam].

29. Eu sei com certeza que depois que eu for, falsos mestres, como lobos ferozes, aparecerão no meio de vocês e não terão pena do rebanho. 

30. Alguns de vocês mesmos torcerão a verdade para conseguir seguidores. 

31. Cuidado! Lembrem-se de que durante três anos estive com vocês, ensinando noite e dia a cada um com muitas lágrimas.

32. Agora eu entrego todos ao CRIADOR, ao cuidado dEle, e à sua graça, que são capazes de edificar a fé e dar a vocês toda a herança daqueles que estão separados para Ele.

33. Nunca mostrei cobiça por dinheiro ou por roupas caras 

34. Vocês sabem que estas minhas mãos trabalharam para pagar minhas próprias despesas e até para as despesas daqueles que estavam comigo. 

35. E eu fui um exemplo constante para vocês no socorro aos pobres, com o dinheiro que eu mesmo ganhava, pois me lembrava das palavras do Maoro’eh Yaohu’shua: ‘É maior bênção dar do que receber’.

36-38. Quando acabou de falar, ajoelhou-se e orou com eles. E choraram em voz alta enquanto abraçavam Paulo/Sha’ul como despedida. Sentindo tristeza mais do que tudo porque ele dizia que nunca mais se veriam outra vez. Então eles acompanharam Paulo/Sha’ul ao navio.

Atos 21

1. DEPOIS de nos despedirmos, navegamos direto para Cós. No outro dia alcançamos Rodes, e então fomos para Pátara. 

2. Ali tomamos um navio que estava partindo para a província síria da Fenícia. 

3. Ao avistarmos a ilha de Chipre/Cyprus, passamos por ela à nossa esquerda e aportamos em Tiro, na Syria, onde o navio descarregou. 

4. Descemos em terra, procuramos os crentes do lugar, e ficamos com eles uma semana. Estes discípulos avisaram a Paulo/Sha’ul: O Santo Espírito/Rukha Kod’shua profetizava por meio deles: que não seguisse para Yah’shua-oleym. 

5. No fim da semana, quando voltamos para o navio, a igreja inteira, com as esposas e filhos, desceu conosco à praia, onde nós oramos e fizemos as nossas despedidas. 

6. Então fomos para bordo e eles voltaram para casa.

7. A escala seguinte depois de deixarmos Tiro foi Ptolemaida, onde cumprimentamos os crentes, mas só ficamos um dia. 

8. Dali prosseguimos para Cesaréia, onde ficamos na casa do evangelista Fylyp, um dos primeiros sete diáconos. 

9. Ele tinha quatro filhas solteiras que possuíam o dom da profecia.

10-11. Durante a nossa permanência de diversos dias, um homem chamado Ágabo, que também tinha o dom da profecia, chegou da Yaohu’dah e nos visitou. Ágabo tomou o cinto de Paulo/Sha’ul, amarrou com ele os próprios pés e as mãos, e disse: O Santo Espírito/Rukha Kod’shua afirma: ‘Assim o dono deste cinto será amarrado pelos yaohu’dins de Yah’shua-oleym e entregue aos romanos’. 

12. Ao ouvir isto, todos nós: Os messiânicos do lugar e os companheiros dele de viagem, suplicávamos a Paulo/Sha’ul que não seguisse para Yah’shua-oleym.

13. Porém ele disse: ‘Por que esse choro todo? Vocês me estão despedaçando o coração! Pois eu estou pronto não somente a ser preso em Yah’shua-oleym, mas também a morrer por causa do Maoro’eh Yaohu’shua!’ 

14. Quando se tornou evidente que não podíamos fazer Paulo/Sha’ul mudar de opinião, desistimos e dissemos: Seja feita a vontade do CRIADOR.

15. Logo depois disto, arrumamos a nossa bagagem e partimos para Yah’shua-oleym. 

16-17. Alguns discípulos de Cesaréia nos acompanharam, e ao chegar nos hospedamos na casa de Mnasom, nascido em Chipre/Cyprus, um dos crentes antigos; e todos os crentes de Yah’shua-oleym nos receberam com muito prazer.

18. No segundo dia Paulo/Sha’ul nos levou com ele para nos encontrarmos com Tiago/Yaohu’kaf e os líderes da igreja de Yah’shua-oleym. 

19. Depois que nos cumprimentamos, Paulo/Sha’ul contou as muitas coisas que o CRIADOR havia realizado entre os não-yaohu’dins por meio do trabalho dele.

20. Eles deram Glória ao CRIADOR, mas depois disseram: Você sabe, querido irmão, quantos milhares de yaohu’dins também creram, e todos eles insistem muito em que os messiânicos yaohu’dins devem continuar a seguir as tradições e os costumes yaohu’dins. 

21. Os nossos messiânicos yaohu’dins aqui de Yah’shua-oleym foram informados de que você é contrário às leis dadas a Mehu’shua, e aos nossos costumes yaohu’dins, e proíbe a circuncisão dos filhos deles. 

22. Que se pode fazer agora? Porque é certo que eles saberão que você chegou.

23. Nós sugerimos o seguinte: Temos aqui quatro homens que estão se preparando para rapar a cabeça e fazer alguns votos voluntários. 

24. Vá com eles ao Templo, mande rapar a sua própria cabeça também: e pague para que eles rapem. Assim todo mundo saberá que você aprova este costume para os messiânicos hebreus, e que você mesmo obedece às leis judaicas e está de acordo com a nossa maneira de pensar nestes assuntos.

25. Quanto aos messiânicos estrangeiros, não estamos pedindo de modo nenhum que sigam estes costumes yaohu’dins: a não ser aqueles pontos sobre os quais já escrevemos a eles: não comer alimento oferecido aos ídolos, não comer carne de animais estrangulados sem sangrar, e não praticar a fornicação.

26-28. Diante disto Paulo/Sha’ul concordou com a exigência deles, e no outro dia foi com os homens ao Templo para a cerimônia, tornando público por esta forma o seu voto de oferecer, juntamente com os outros, um sacrifício sete dias depois. Quase já tinham passado os sete dias, quando uns yaohu’dins da Turquia viram Paulo/Sha’ul no Templo e levantaram um motim contra ele. Agarraram-no, gritando: Homem de Yaoshor’ul! Acudam! Acudam! Este é o homem que prega contra o nosso povo e diz a todo mundo que não obedeça às leis judaicas. Ele não respeita nem o Templo, pois traz gente que não pode entrar nele. 

29. (Porque antes eles tinham visto Paulo/Sha’ul, na cidade com Trófimo, estrangeiro de Efsiyah, da Turquia, e pensaram que Paulo/Sha’ul tinha levado Trófimo para dentro do Templo).

30. Toda a população da cidade ficou alvoroçada com estas acusações e se formou logo uma grande confusão. Arrastaram Paulo/Sha’ul para fora do Templo, e imediatamente os portões foram fechados atrás dele. 

31. Quando procuravam matar Paulo/Sha’ul, chegou ao comandante da guarnição romana a notícia de que toda a Yah’shua-oleym estava em confusão. 

32. Ele mandou sair apressadamente os soldados e os oficiais, e correu para o meio da multidão. Quando o povo viu as tropas chegando, deixaram de bater em Paulo/Sha’ul. 

33. O comandante o prendeu e mandou que o amarrassem com duas correntes. Então perguntou à multidão quem era ele, e o que tinha feito. 

34. Uns gritavam uma coisa e outros gritavam outra. Quando ele viu que não conseguia nada em toda aquela confusão, mandou que levassem Paulo/Sha’ul para a fortaleza. 

35-36. Quando eles chegaram às escadarias, a multidão havia-se tornado tão violenta que os soldados levantaram Paulo/Sha’ul nos ombros, para protegê-lo, e a multidão ia atrás gritando: Fora com ele, fora com ele! 

37-38. Quando Paulo/Sha’ul estava para ser posto para dentro da fortaleza, disse ao comandante: Posso dar uma palavra ao maoro’eh/mestre? Você sabe grego, perguntou o comandante, surpreso. Você não é aquele egypcio que chefiou uma rebelião, há poucos anos, e levou com ele ao deserto 4.000 membros dos Assassinos?

39. Não, respondeu Paulo/Sha’ul; eu sou judaico de Tarso da Cilícia, que não é uma cidade pequena. Peço permissão para falar a esta gente.

40. O comandante concordou; então Paulo/Sha’ul ficou de pé nas escadarias, e fez sinal ao povo para que ficasse quieto; logo um profundo silêncio dominou a multidão, e ele falou em hebraico, dizendo o seguinte:

Atos 22

1. IRMÃOS E PAIS, ouçam-me enquanto apresento minha defesa. 

2. (Quando ouviram que ele falava em hebraico, o silêncio foi ainda maior). 

3. Eu sou judaico, disse ele, nascido em Tarso, cidade da Cilícia, mas educado aqui em Yah’shua-oleym por Gamali’ul, a cujos pés aprendi a seguir muito cuidadosamente as nossas leis e costumes yaohu’dins. Me tornei muito zeloso honrando ao ETERNO em tudo quanto fazia, tal como vocês procuraram fazer hoje. 

4. E andei a caça dos seguidores do Caminho, perseguindo-os até à morte, prendendo-os e pondo na cadeia tanto homens como mulheres. 

5. O supremo sacerdote ou qualquer membro do Conselho pode testemunhar que isto é verdade. Pois eu pedi cartas para os líderes yaohu’dins de Damasco, com instruções de me permitirem trazer a Yah’shua-oleym, acorrentado para ser castigado, qualquer messiânico que encontrasse.

6-7. Quando estava na estrada, chegando perto de Damasco, de repente perto do meio dia brilhou ao meu redor uma luz muito forte, e eu caí no chão e ouvi uma voz dizer-me: ‘Sha’ul, Sha’ul, por que está me perseguindo?’

8. ’Quem é, Maoro’eh, que está falando comigo?’ perguntei. E Ele respondeu: ‘Eu sou Yaohu’shua de entre os nazarenos, a quem você está perseguindo’. 

9. Os homens que estavam comigo viram a luz, mas não entenderam o que se falou.

10. E eu disse: ‘Que devo fazer, CRIADOR?’ E o CRIADOR me disse: ‘Levante-se e entre em Damasco, e lá dirão a você o que está reservado para você fazer’.

11. Eu fiquei cego com a luz intensa, e tive que ser levado para Damasco pelos meus companheiros. 

12-13. Ali, um homem chamado Anan’yah, fiel na obediência à Lei, conforme podem testificar todos os yaohu’dins de Damasco, veio a mim, colocou-se ao meu lado e disse: ‘Irmão Paulo/Sha’ul, receba a sua vista!’ E naquela mesma hora eu pude enxergar! 

14. Então ele me disse: ‘O UL dos nossos pais escolheu você para saber a vontade dEle, para ver e ouvir o Messias/hol’Mehushkyah falar’. 

15. ‘Você levará a mensagem dEle a toda parte, contando o que tem visto e ouvido’. 

16. ‘E agora, por que demorar? Vá se emergir, e fique limpo dos seus pecados, invocando o nome do CRIADOR’.

17-18. Um dia depois da minha volta a Yah’shua-oleym, enquanto estava orando no Templo, eu tive uma visão do CRIADOR, me dizendo: ‘Ande depressa e deixe Yah’shua-oleym, porque o povo daqui não acreditará em você quando der a eles a minha mensagem’.

19. ’Mas CRIADOR’, eu disse’, eles sabem verdadeiramente que eu prendia e espancava em cada sinagoga aqueles que criam no CRIADOR’. 

20. E quando mataram a sua testemunha Esteban, eu me achava lá, e concordei: tomando conta dos casacos que eles punham de lado enquanto o matavam a pedradas.

21 Mas o CRIADOR me disse: ‘Saia de Yah’shua-oleym, porque eu enviarei você muito longe, aos outros povos! 

22. A multidão ouviu até que Paulo/Sha’ul chegou a esta palavra e depois gritaram a uma voz: Fora com esse sujeito! Matem! Ele não merece viver! 

23. Gritavam, atiravam os casacos para cima, e jogavam punhados de terra para o ar.

24. Então o comandante pôs Paulo/Sha’ul para dentro, e mandou que fosse chicoteado para fazê-lo confessar o seu crime. Ele queria descobrir por que a multidão tinha ficado tão furiosa!

25. Quando estavam amarrando Paulo/Sha’ul para chicotear, ele disse a um oficial que se achava ali: A lei permite a vocês chicotear um cidadão romano que nem foi julgado?

26. O oficial foi ao comandante e perguntou: Que está o maoro’eh/mestre fazendo? Este homem é cidadão romano! 

27. Com isto o comandante foi perguntar a Paulo/Sha’ul: Diga-me, você é cidadão romano? Sim, de fato sou.

28. Eu também sou, murmurou o comandante, mas isso me custou um dinheirão! Mas eu sou cidadão por nascimento, disse Paulo/Sha’ul.

29. Os soldados, que já estavam prontos para chicotear, quando ouviram que Paulo/Sha’ul era cidadão romano, desapareceram rapidamente, e o comandante ficou com medo, por haver dado ordem para que ele fosse amarrado e chicoteado.

30. No outro dia o comandante soltou Paulo/Sha’ul das correntes e mandou que os sacerdotes principais se reunissem em sessão com o Conselho judaico. E fez trazer Paulo/Sha’ul à presença deles, para procurar descobrir afinal o que era aquela confusão toda.


Atos 23

1. SHA’UL OLHOU firmemente para o Conselho, e depois começou: Irmãos, eu sempre tenho vivido diante do ETERNO, com toda a boa consciência! 

2. Logo o supremo sacerdote Anan’yah/Anan’yah ordenou aos que estavam perto de Paulo/Sha’ul que lhe dessem uma bofetada na boca.

3. Paulo/Sha’ul disse a ele: o CRIADOR esbofeteará você, seu fingido! Que espécie de juiz você é, quando você mesmo quebra a lei, mandando me bater assim?

4. Os que estavam perto de Paulo/Sha’ul, disseram a ele: Isto é maneira de falar ao supremo sacerdote do ETERNO?

5. Eu não percebi que era ele o supremo sacerdote, irmãos, respondeu Paulo/Sha’ul, porque as Escrituras dizem: Nunca ofenda nenhum dos seus governantes.

6. Nisso Paulo/Sha’ul teve uma idéia! Uma parte do Conselho era de saduceus, e a outra era de fariseus! Então ele gritou: Irmãos, eu sou fariseu, como foram todos os meus antepassados! E estou sendo julgado hoje aqui, porque creio na ressurreição dos mortos! 

7. Isto dividiu o Conselho bem no meio: Os fariseus contra os saduceus: e houve forte discussão. 

8. Pois os saduceus dizem que não há ressurreição, nem Anjos, e nem mesmo espírito em nós, mas os fariseus crêem em tudo isso.

9. Então levantou-se um grande barulho. Alguns dos lideres yaohu’dins saltaram no meio para dizer que Paulo/Sha’ul tinha toda a razão. Nós não vemos nada errado nele, gritavam, Quem sabe foi um espírito ou um Anjo que falou a ele (lá na estrada para Damasco)?

10. A gritaria aumentava cada vez mais, e os homens estavam de, ambos os lados aos empurrões, puxando Paulo/Sha’ul para cá e para lá. Finalmente o comandante, com medo que eles despedaçassem o apóstolo, mandou aos soldados que retirassem Paulo/Sha’ul à força do meio deles e levassem de volta para o quartel.

11. Naquela noite o CRIADOR apareceu de pé ao lado de Paulo/Sha’ul e disse: Não se aflija, Paulo/Sha’ul; tal como você falou a meu respeito ao povo aqui em Yah’shua-oleym, assim deve falar também em Roma.

12-13. No outro dia de manhã, se juntaram dos yaohu’dins uns 40 homens ou mais e de baixo de maldição juraram não comer nem beber enquanto não-tivessem matado Paulo/Sha’ul! 

14. Então foram aos principais sacerdotes e lideres dos yaohu’dins, e lhes, contaram o que haviam feito. 

15. Peçam ao comandante que traga Paulo/Sha’ul outra,vez diante do Conselho, disseram eles. Finjam que vocês querem fazer mais algumas perguntas; Nós o mataremos no caminho.

16. Mas o sobrinho de Paulo/Sha’ul’ ficou sabendo do plano deles, e foi à fortaleza contar a Paulo/Sha’ul.

17. Este chamou um dos oficiais e disse: Leve este rapaz ao comandante. Ele tem algo importante para contar-lhe.

18. Assim fez o oficial, explicando: O preso Paulo/Sha’ul me chamou e me pediu que trouxesse este jovem ao maoro’eh/mestre, para contar-lhe uma coisa.

19. O comandante pegou o rapaz pela mão, levou-o a um lado e perguntou: Que é que você quer me contar, moço?

20. Amanhã, disse ele, os yaohu’dins vão pedir ao maoro’eh/mestre que leve Paulo/Sha’ul diante do Conselho novamente, fingindo que querem obter mais alguma informação. 

21. Mas não faça isso! Há mais de 40 homens escondidos ao longo da estrada, prontos para saltar em cima dele para matá-lo. Eles juraram nem comer nem beber, enquanto ‘ele não’ estiver morto. Agora mesmo já estão lá, esperando que o maoro’eh/mestre atenda ao pedido deles.

22. Não deixe ninguém saber que você me contou isto, disse o comandante ao rapaz quando ele partiu. 

23-24. Então o comandante chamou dois dos seus oficiais e ordenou: Preparem 200 soldados para partirem hoje para Cesaréia às nove horas da noite. Levem 200 lanceiros e 70 homens da cavalaria; Entreguem, a Paulo/Sha’ul um cavalo para montar e levem o acusado em segurança ao Governador Félix.

25. Então ele escreveu esta carta ao governador: 

26-30. De: Cláudio Lísias: A: Sua Excelência, o Governador Félix.

Saudações! Este homem foi arrebatado pelos yaohu’dins, e quase foi morto, quando enviei os soldados para salvá-lo, porque soube que era cidadão romano. Depois foi levado ao conselho deles para tentar descobrir o que tinha feito. Logo descobri que era algo a respeito das crenças judaicas, nada então digno de prisão ou de morte. Mas quando fui informado de uma conspiração para matar o acusado, decidi mandar Sha’ul a V. Exa., e direi aos acusadores dele que levem suas denúncias à sua presença.

31. Assim é que naquela noite, conforme foi ordenado aos soldados levaram Paulo/Sha’ul para Antipátride. 

32-35. Eles voltaram à fortaleza no dia seguinte, deixando Paulo/Sha’ul com a cavalaria para ir até Cesaréia, onde apresentaram Paulo/Sha’ul e a carta ao governador. Ele leu e perguntou a Paulo/Sha’ul de onde ele era. Cilícia, respondeu Paulo/Sha’ul. Bem, eu ouvirei todo o seu caso quando chegaram os seus acusadores, disse-lhe o governador, e ordenou que guardassem Sha’ul na prisão do palácio do rei Herod.

Atos 24

Atos 24

1. CINCO DIAS depois o supremo sacerdote Anan’yah/Anan’yah chegou com alguns dos líderes yaohu’dins e o advogado Tértulo, para apresentarem as acusações deles contra Paulo/Sha’ul. 

2. Quando Tértulo foi chamado à frente, fez as acusações contra Paulo/Sha’ul no seguinte discurso ao governador: Vossa Excelência nos tem dado a nós, os yaohu’dins, tranquilidade e paz, e tem reduzido bastante o tratamento injusto contra nós. 

3. Por isso nós somos muitíssimos agradecidos ao maoro’eh/mestre. 

4. Mas para não cansar V. Exa., peço sua atenção só por um momento, enquanto eu conto resumidamente a nossa questão contra este homem. 

5. É que nós descobrimos que ele é um perturbador, um homem que está sempre levando os yaohu’dins, pelo mundo todo, a se revoltarem contra o governo romano. Ele é um dos chefes da seita conhecida como dos nazarenos. 

6. Além disso, ele estava tentando profanar o Templo quando foi preso. Nós lhe teríamos dado o que ele muito justamente merece. 

7-8. Mas veio Lísias, comandante da guarnição, e arrancou o acusado violentamente das nossas mãos, exigindo que ele seja julgado pela lei romana. V. Exa. poderá descobrir a verdade das nossas acusações, examinando Paulo/Sha’ul pessoalmente.

9. Então todos os outros yaohu’dins concordaram com ele, afirmando que tudo quanto Tértulo havia dito era verdade.

10. Nisso chegou a vez de Paulo/Sha’ul. O governador fez sinal que ele se levantasse e falasse. Paulo/Sha’ul começou assim: Eu sei, governador, que o maoro’eh/mestre tem sido por muitos anos juiz de questões judaicas, e isto me dá confiança de apresentar a minha defesa. 

11-13. O maoro’eh/mestre pode facilmente descobrir que não fazia mais do que doze dias que eu tinha chegado a Yah’shua-oleym para adorar no Templo, e descobrirá que eu nunca provoquei nenhum motim em nenhuma sinagoga, nem nas ruas da cidade; e estes homens evidentemente não podem provar as coisas que me acusam de fazer.

14-15. Mas uma coisa, sim, eu confesso, que é crer no CAMINHO, ao qual eles se referem como a uma seita; eu sigo esse modo de servir ao UL dos nossos antepassados; creio firmemente na lei judaica e que o ensino messiânico cumpre a tudo o que está escrito nos livros da profecia, e creio, tal como crêem estes homens, que haverá uma ressurreição, tanto dos justos como dos ímpios. 

16. Por causa disto, procuro com toda a minha força manter sempre uma consciência limpa diante do ETERNO e dos homens.

17. Depois de estar ausente vários anos, voltei a Yah’shua-oleym com dinheiro para socorrer os yaohu’dins, e para oferecer um sacrifício ao ETERNO. 

18-21. Os meus acusadores me viram no Templo quando eu estava apresentando a minha oferta de gratidão. Eu tinha raspado a cabeça, como as leis exigem, e não havia multidão nenhuma ao meu redor, e nenhuma confusão! Mas estavam lá alguns yaohu’dins da Turquia, (os quais deveriam estar aqui, se eles têm alguma coisa contra mim): mas veja! Pergunte a estes homens aqui mesmo que culpa o Conselho deles achou em mim, quando estive lá a não ser que eu disse uma coisa que não devia, quando clamei: ‘Eu estou aqui diante do Conselho para me defender por causa da crença de que os mortos ressurgirão!’

22. Félix, que sabia que os messiânicos não andam de um lado para o outro provocando confusões, disse aos yaohu’dins que esperassem a chegada de Lísias, comandante da guarnição, e então ele decidiria o caso. 

23. Mandou Paulo/Sha’ul para o cárcere, mas instruiu aos guardas que ele fosse tratado com delicadeza e não proibisse nenhum dos amigos dele de visitar ou trazer presentes, para tornar mais confortável sua permanência ali.

24. Poucos dias depois veio Félix com sua própria esposa Drusila, que era yaohudáh. Mandou buscar Paulo/Sha’ul, e os dois ouviram falar a respeito da fé em hol’Mehushkyah Yaohu’shua. 

25. E enquanto Paulo/Sha’ul falava com eles a respeito da justiça divina, do domínio próprio, e do juízo final, Félix ficou apavorado. Por agora pode ir embora, respondeu ele, e quando eu tiver uma ocasião mais conveniente, chamarei você outra vez.

26. Ele esperava também que Paulo/Sha’ul lhe desse algum dinheiro para ficar livre; e, por isso estava sempre mandando buscá-lo para conversar com ele. 

27. Desta forma passaram-se dois anos; então Félix foi substituído por Pórcio Festo. E como Félix queria ganhar a simpatia dos yaohu’dins, deixou Paulo/Sha’ul na prisão.

Atos 25

1. TRÊS DIAS DEPOIS que Festo chegou a Cesaréia para assumir seu posto, partiu para Yah’shua-oleym. 

2. Onde os sacerdotes principais e outros líderes yaohu’dins contaram a história deles a respeito de Paulo/Sha’ul. 

3. Pediram que trouxesse imediatamente Paulo/Sha’ul a Yah’shua-oleym. (O plano deles era ficar de tocaia e matar Paulo/Sha’ul). 

4-5. Mas Festo respondeu que, como Paulo/Sha’ul estava em Cesaréia e ele mesmo voltaria dali a pouco para lá, aqueles que entendiam desta questão, que voltassem com ele para o julgamento.

6. Uns oito ou dez dias depois ele voltou a Cesaréia, e no outro dia abriu o julgamento de Paulo/Sha’ul.

7. Na chegada de Paulo/Sha’ul ao tribunal, os yaohu’dins vindos de Yah’shua-oleym se juntaram em volta dele, fazendo muitas acusações sérias que não podiam provar. 

8. Paulo/Sha’ul negava as acusações: Eu sou inocente, dizia. Nada fiz contra a lei dos yaohu’dins, nem contra o Templo, nem contra o governo romano.

9. Então Festo ansioso para agradar aos yaohu’dins, perguntou: Você está disposto a ir a Yah’shua-oleym para lá ser julgado diante de mim?

10-11. Mas Paulo/Sha’ul respondeu: Nunca! Eu invoco o meu privilégio de uma audiência diante do próprio Imperador. O maoro’eh/mestre sabe muito bem que eu não tenho culpa nenhuma. Se fiz alguma coisa para merecer a morte, não me recuso a morrer! Mas se sou inocente, nem o maoro’eh/mestre, nem outro qualquer, tem o direito de me entregar a estes homens para que me matem. Eu apelo para César.

12. Festo consultou os conselheiros dele e então respondeu: Muito bem! Você apelou para César, e para César irá! 

13. Poucos dias depois chegou o Rei Agripa com Berenice para uma visita a Festo. 

14. Como a permanência deles durou diversos dias, Festo discutiu com o rei o caso de Paulo/Sha’ul. Existe aqui um preso, disse ele, cujo caso me foi deixado por Félix. 

15. Quando estive em Yah’shua-oleym, os sacerdotes principais e outros lideres yaohu’dins me contaram o lado deles nesta história e pediram que o matasse. 

16. Naturalmente eu chamei logo a atenção para o fato de que a lei romana não condena um homem antes de ele ser julgado. Se concede a ele uma oportunidade de defesa, face a face com os seus acusadores.

17. Quando eles chegaram aqui para o julgamento, logo no outro dia eu tratei do caso e mandei trazer Paulo/Sha’ul. 

18. Porém as acusações feitas contra ele não foram absolutamente o que eu esperava que fossem. 

19. Eram alguma coisa a respeito da religião deles, e sobre um certo Yaohu’shua, que morreu, mas Paulo/Sha’ul insiste em que Ele está vivo! 

20. Eu fiquei sem jeito sobre a maneira de resolver um caso desta natureza e perguntei a ele se estava disposto a ser julgado por estas acusações em Yah’shua-oleym. 

21. Mas Paulo/Sha’ul apelou para César! Então o mandei de volta à prisão até poder enviá-lo ao Imperador.

22. Eu gostaria de ouvir pessoalmente esse homem, disse Agripa. E Festo respondeu: O maoro’eh/mestre o ouvirá amanhã! 

23. Assim foi que no outro dia, depois que o rei e Berenice tinham chegado com grande pompa na sala do tribunal, acompanhados de oficiais militares e homens importantes da cidade, Festo mandou trazer Paulo/Sha’ul.

24-25. Então Festo disse: Rei Agripa e demais pessoas presentes, este é o homem cuja morte é exigida tanto pelos yaohu’dins deste lugar como pelos de Yah’shua-oleym! Porém na minha opinião ele não fez nada para merecer a morte. Contudo, ele requereu que o seu caso fosse a César, e eu não tenho outro caminho senão fazer isto. 

26-27. Mas que vou escrever ao Imperador? Porque não há nenhuma acusação real contra ele! Por isso eu o trouxe diante de vocês todos, e especialmente do Rei Agripa, a fim de que seja interrogado e depois eu possa saber o que escrever. Porque não parece sensato mandar um preso ao Imperador sem poder registrar nenhuma acusação contra ele!

Atos 26

1. ENTÃO AGRIPA disse a Paulo/Sha’ul: Adiante. Conte-nos a sua história. E assim Paulo/Sha’ul, muito entusiasmado, apresentou a sua defesa, dizendo: 

2-3. Estou muito contente, Rei Agripa, começou, em poder apresentar minha resposta diante de Vossa Majestade, pois eu sei que é um conhecedor das leis e dos costumes dos yaohu’dins. Portanto, queira ouvir-me com paciência! 

4. Como os yaohu’dins estão muito bem informados, eu recebi uma educação judaica completa desde a minha infância em Tarso e depois em Yah’shua-oleym, e vivi de acordo com ela. 

5. E se eles quiserem testemunhar, sabem que eu sempre tenho sido o mais severo entre os fariseus, quando se trata da obediência às leis e aos costumes dos yaohu’dins. 

6. Porém a verdadeira razão por trás das acusações deles é outra – é que eu estou aguardando o cumprimento da promessa do ETERNO feita aos nossos antepassados. 

7. As 12 tribos de Yaoshor’ul esforçam-se na religião noite e dia para alcançar esta mesma esperança que eu tenho! Todavia, óh Rei, em mim isto é um crime, dizem eles! 

8. Mas será crime crer na ressurreição dos mortos? Parece incrível a Vossa Majestade que o CRIADOR possa trazer os homens de volta à vida?

9-10. Eu costumava pensar que devia fazer muitas coisas terríveis contra os seguidores de Yaohu’shua de entre os nazarenos. Aprisionei muitos dos messiânicos de Yah’shua-oleym, com autorização dos supremos sacerdotes; e quando eram condenados à morte, dava o meu voto contra eles. 

11. Eu utilizava tortura para tentar fazer os messiânicos por toda parte amaldiçoarem hol’ Mehushkyah. Era contra eles com tal violência que persegui todos até em cidades distantes, em terras estrangeiras.

12-13. Eu ia numa missão assim para Damasco, com a autoridade dos sacerdotes principais, quando no caminho, perto do meio-dia, óh Rei, brilhou sobre mim e meus companheiros uma luz do céu mais resplandecente que a do sol.

14. Todos nós caímos no chão, e eu ouvi uma voz falando-me em hebraico: ‘Sha’ul, Paulo/Sha’ul, por que você está Me perseguindo? Você está apenas fazendo mal a você mesmo’.

15. ’Quem és?’ perguntei. E o CRIADOR respondeu: ‘Eu sou Yaohu’shua, Aquele que você está perseguindo’. 

16. ‘Agora, levante-se e ande. Pois Eu apareci para nomear você como meu servo e pregador da verdade. Você vai falar ao mundo a respeito desta experiência e das outras em que Eu aparecerei ainda a você’. 

17. ‘Você será protegido por mim, tanto do seu próprio povo como dos estrangeiros. Sim, Eu vou enviar você aos estrangeiros’. 

18. ‘A fim de abrir os olhos deles para a sua verdadeira situação, para que eles possam se converter e viver na luz do ETERNO, em lugar de viverem na escuridão de ha’satan; para que possam receber perdão pelos seus pecados e a herança eterna juntamente com todos aqueles cujos pecados são purificados, e que são separados pela fé em Mim’.

19. E portanto, óh Rei Agripa, eu não fui desobediente àquela visão do céu! 

20. Preguei primeiramente aos que estavam em Damasco, e depois em Yah’shua-oleym e pela Yaohu’dah, e também aos não-yaohu’dins, dizendo que todos devem abandonar seus pecados e voltar-se para o ETERNO – e provar seu arrependimento com a prática de obras dignas. 

21-23. Os yaohu’dins me prenderam no Templo por pregar isto e tentaram me matar, mas o CRIADOR me protegeu, de modo que eu ainda estou vivo hoje para contar estes fatos a todo mundo, tanto aos grandes como aos pequenos. Eu não ensino nada, a não ser o que os profetas e Mehu’shua profetizaram que o Messias/hol’Mehu-shkyah sofreria, e seria o Primeiro a levantar-se dentre os mortos, para trazer luz aos yaohu’dins e também aos das outras nações.

24. De repente Festo gritou: Paulo/Sha’ul, você está louco. Os seus longos estudos perturbaram a sua cabeça! 

25-26. Mas Paulo/Sha’ul respondeu: Não estou louco, Excelentíssimo Festo. Eu falo palavras de juízo perfeito, e o Rei Agripa sabe destas coisas. Falo abertamente porque tenho certeza de que estes acontecimentos são todos do conhecimento dele, pois não se passaram às escondidas. 

27. Rei Agripa, Vossa Majestade crê nos profetas? Eu sei que sim.

28. Agripa o interrompeu: Com provas pequenas assim, você espera que me torne messiânico?

29. E Paulo/Sha’ul respondeu: Que o CRIADOR permitisse que, embora as minhas provas fossem fracas ou poderosas, tanto Vossa Majestade como todos os demais que estão aqui neste auditório pudessem se tornar o mesmo que eu sou, mas sem estas correntes.

30. Então o rei, o governador, Berenice e todos os outros se levantaram e saíram. 

31. Quando conversavam entre si depois disso, eles concordaram: este homem não fez nada que mereça a morte ou a prisão.

32. E Agripa disse a Festo: Ele poderia ser solto, se não tivesse apelado para César! 

Atos 27

1. RESOLVIDO assim que partiríamos em nossa viagem de navio a Roma; de modo que Paulo/Sha’ul e diversos outros presos foram postos debaixo da guarda de um oficial chamado Yúlio, membro da guarda imperial.

2. Partimos num barco com destino à Grécia o qual deveria fazer diversas escalas ao longo da costa turca. Devo acrescentar que Aristarco, um grego de Teslonikyah, estava conosco. 

3. No outro dia, quando chegamos a Sidom, Yúlio foi muito bondoso com Paulo/Sha’ul e permitiu que ele descesse em terra para visitar amigos e receber os cuidados deles. 

4-5. Dali embarcamos e encontramos ventos contrários, que tornavam difícil conservar o navio na rota, de modo que navegamos ao norte de Chipre/Cyprus, entre a ilha e a terra firme, e passamos ao longo da costa das províncias da Cilícia e da Panfilia, chegando a Mirra, na província de Lícia. 

6. Ali o nosso oficial achou um navio egypcio que vinha de Alexandria e se destinava à Itália, e nos fez embarcar.

7-8. Tivemos diversos dias de navegação difícil, e por fim nos aproximamos de Cnido, porém os ventos haviam ficado muito fortes, de modo que atravessamos para Creta, passando o porto de Salmona. Lutamos sem resultado contra o vento e com grande dificuldade navegamos devagar ao longo da costa sul, até que chegamos a Bons Portos, perto da cidade de Laséia. 

9. Ali passamos diversos dias. O tempo estava ficando perigoso para viagens longas naquela época, porque o ano já estava muito adiantado, e Paulo/Sha’ul falou aos oficiais do navio a respeito disto.

10. Maoro’ehs, disse ele, eu acho que vamos ter dificuldades pela frente se prosseguirmos: talvez naufrágio, perda da carga, prejuízos e morte. 

11. Mas os oficiais responsáveis pelos presos deram mais ouvidos ao capitão e ao proprietário do navio, do que a Paulo/Sha’ul. 

12. E já que Bons Portos era uma enseada aberta um: lugar ruim para passar o inverno – a maioria da tripulação aconselhou que deveríamos tentar avançar até à costa de Fenice, a fim de passarmos o inverno ali; Fenice era uma boa enseada, com abertura apenas para o noroeste e o sudoeste.

13. Nesse momento um vento leve começou a soprar do sul, e pareceu um dia perfeito para a viagem; então eles levantaram âncora e navegaram costeando bem perto da praia de Creta.

14-15. Porém logo depois disto o tempo mudou de repente, e um forte vento com a força de um furacão (o nordeste, como chamavam) colheu o navio e o empurrou para o mar. Eles tentaram a princípio virar a proa para a praia, mas não puderam, de modo que desistiram e deixaram o navio ser levado pela ventania.

16-17. Finalmente navegamos por trás de uma ilha pequena chamada Cauda, onde com grande dificuldade levantamos para bordo o bote salva-vidas que viajava rebocado, e então amarramos o navio com cordas para fortalecer o casco. Os marinheiros estavam com medo de serem arrastados para as areias movediças da costa africana, de modo que baixaram as velas superiores e se deixaram levar pelo vento.

18. No outro dia, como as ondas se tornaram ainda maiores, a tripulação começou a jogar a carga ao mar. 

19. No dia seguinte eles jogaram fora o equipamento e qualquer outra coisa em que puderam pôr as mãos. 

20. A terrível tempestade rugiu sem diminuir nada durante muitos dias, não nos deixando ver o sol nem estrelas, até que finalmente toda a esperança acabou.

21. Ninguém tinha comido por um longo tempo, mas Paulo/Sha’ul finalmente se levantou no meio da tripulação, e disse: ‘Homens, vocês deveriam ter-me dado ouvidos em primeiro lugar e não ter deixado Bons Portos: teriam evitado todo este prejuízo e esta perda!’ 

22-24. ‘Mas tenham ânimo! Nenhum de nós perderá a vida; somente o navio afundará, porque esta noite um ANJO DO ETERNO (a quem eu pertenço e a quem sirvo) se pôs de pé ao meu lado e disse: ‘NÃO TENHA MEDO, PAULO/SHA’UL: PORQUE VOCÊ SEM FALTA SERÁ JULGADO DIANTE DE CÉSAR! E O QUE É MAIS: O CRIADOR CONCEDEU O SEU PEDIDO E SALVARÁ A VIDA DE TODOS OS QUE NAVEGAM COM VOCÊ’ ’. 

25. ‘Portanto, tenham coragem! Pois eu creio no CRIADOR! Será exatamente como Ele disse!’

26. ‘Mas iremos naufragar numa ilha’.

27. Na 14ª noite de tempestade, perto do meio da noite, enquanto éramos jogados de um lado para o outro no Mar Adriático, os marinheiros desconfiaram que a terra estava próxima. 

28. Fizeram uma sondagem, e acharam 40 metros de água. Um pouco adiante, fizeram nova sondagem e acharam só 30 metros. 

29. Nessa proporção, eles sabiam que dali a pouco seriam levados à praia; e com medo de que houvesse rochedos ao longo da costa, lançaram quatro âncoras pela popa e oravam pela luz do dia.

30. Alguns dos marinheiros planejaram abandonar o navio, e baixaram o bote de emergência, dando como desculpa que iam lançar âncoras pela proa.

31. Mas Paulo/Sha’ul disse aos soldados e ao oficial comandante: Vocês vão todos morrer, se não ficarem todos a bordo. 

32. Então os soldados cortaram as cordas e deixaram o bote cair.

33. Quando a escuridão deu lugar à primeira luz da manhã, Paulo/Sha’ul pedia que todos comessem. Vocês não têm comido nada há duas semanas, dizia ele. 

34. Eu peço que comam alguma coisa agora para salvarem suas próprias vidas! Porque não se perderá nem um cabelo da cabeça de vocês! 

35. Então ele pegou pães, deu graças ao CRIADOR na presença deles todos, partiu em pedaços e comeu. 

36-37. De repente todos nos sentimos melhor e começamos a comer, todos nós, as duzentas e setenta e seis pessoas: pois este era o número dos que estávamos abordo. 

38. Depois de comer, a tripulação aliviou o navio mais um pouco, jogando ao mar todo o trigo.

39. Quando chegou o dia, eles não reconheceram a terra, mas notaram uma baía com uma praia; e faziam cálculos se podiam passar entre os rochedos e ser levados até à praia. 

40. Finalmente decidiram tentar. Cortaram as âncoras e deixaram no mar; baixaram os lemes, levantaram a vela da proa e rumaram para a praia. 

41. Mas o navio deu num banco de areia onde batiam ondas de dois lados, e encalhou. A proa ficou bem presa, enquanto a popa ficou exposta à violência das ondas e começou a partir-se em pedaços.

42. Os soldados aconselharam ao oficial comandante que deixasse matar os presos, para que nenhum deles nadasse para a praia e fugisse. 

43. Mas Yúlio queria livrar Paulo/Sha’ul, e então não permitiu. Ordenou que todos os que sabiam nadar saltassem ao mar e fossem para a terra. 

44. Os outros que tentassem conseguir chegar lá em tábuas e pedaços do navio. Assim todo mundo escapou e alcançou a praia em segurança!

Atos 28

1-2. CHEGANDO TODOS com vida, logo soubemos que estávamos na ilha de Malta. O povo da ilha foi muito bondoso conosco, e fez uma fogueira na praia para nos aquecer do frio, e ainda nos agasalharam contra a chuva.

3. Enquanto Paulo/Sha’ul estava juntando uma braçada de gravetos para pôr no fogo, uma cobra venenosa, que fugia do calor, prendeu-se na mão dele! 

4. O povo da ilha viu a cobra pendurada na mão de Paulo/Sha’ul e diziam uns aos outros: Sem dúvida ele é um assassino! Embora escapasse do mar, a Justiça não deixará que ele viva!

5. Mas Paulo/Sha’ul sacudiu a cobra no fogo e não sofreu nada de mal.

6. O povo esperava que ele começasse a inchar ou caísse morto de repente; mas depois que esperaram muito tempo e não aconteceu nada, mudaram de opinião e concluíram que ele era um ídolo.

7. Perto da praia onde descemos havia uma fazenda de propriedade de Públio, governador da ilha. Ele nos recebeu com educação e nos deu comida durante três dias. 

8. Aconteceu que o pai de Públio estava doente de febre e disenteria. Paulo/Sha’ul entrou e orou por ele, pôs as mãos sobre sua cabeça, e ele foi curado! 

9. Então todos os outros doentes da ilha sabendo do milagre, vieram e foram curados. 

10. Como resultado ganhamos muitos presentes, e quando chegou o tempo de partirmos, o povo pôs a bordo toda espécie de coisas que precisávamos para a viagem.

11. Passaram-se três meses depois do naufrágio, antes de nos fazermos ao mar novamente, e desta vez fomos no Irmãos Gêmeos, um navio que vinha de Alexandria, e tinha passado o inverno na ilha. 

12. Nossa primeira escala foi em Siracusa, onde permanecemos três dias. 

13. Dali rodeamos até Régio; um dia depois um vento sul começou a soprar, e por isso, no dia seguinte chegamos a Potéoli, 

14. Onde encontramos alguns crentes! Eles nos pediram que ficássemos com eles sete dias. Depois navegamos para Roma.

15. Os irmãos de Roma tinham sabido que estávamos chegando e vieram encontrar-se conosco no Fórum da Via Ápia. Outros se reuniram a nós nas Três Vendas. Quando Paulo/Sha’ul os viu, deu graças ao CRIADOR e sentiu-se animado.

16. Ao chegarmos a Roma, Paulo/Sha’ul teve permissão de morar onde quisesse, embora guardado por um soldado. 

17. Três dias depois da chegada dele, convocou os líderes yaohu’dins do lugar e falou o seguinte: Irmãos, eu fui preso pelos yaohu’dins de Yah’shua-oleym e entregue ao governo romano, para ser processado, embora não tenha causado prejuízo a ninguém, nem desobedecido aos costumes dos nossos antepassados. 

18. Os romanos me julgaram e queriam soltar-me, porque não acharam causa para a sentença de morte exigida pelos líderes yaohu’dins. 

19. Mas quando os yaohu’dins protestaram contra a decisão, eu achei necessário, sem nenhuma intenção de prejudicar os de minha nação, apelar para César. 

20. Pedi a vocês a virem até aqui hoje, para que pudéssemos nos conhecer, e eu pudesse contar-lhes o motivo porque eu creio que o Messias/hol’Mehushkyah já veio e é por isto que estou preso com esta corrente.

21. Eles responderam: Nós não temos ouvido nada contra você! Não temos tido cartas da Yaohu’dah, nem informação daqueles que chegam de Yah’shua-oleym.

22. Mas queremos saber o que você crê, porque a única coisa que sabemos a respeito destes messiânicos é que eles são combatidos em toda parte! 

23. Assim foi que eles marcaram uma ocasião, e naquele dia um grande número de yaohu’dins veio a casa dele. Paulo/Sha’ul falou do Reino do ETERNO e ensinou-lhes a respeito de Yaohu’shua, usando as Escrituras: Os cinco livros de Mehu’shua e os livros da profecia. Ele começou a conferência de manhã, e prosseguiu até à noite!

24. Alguns creram, e outros, não. 

25. Mas depois que eles haviam discutido contra e a favor entre si, retiraram-se com esta palavra final de Paulo/Sha’ul, ressoando nos ouvidos deles: O Santo Espírito/Rukha Kod’shua estava certo, quando disse por meio do profeta Yahshua’yaohuh: 

26-27. ‘Digam aos yaohu’dins: Vocês ouvirão e verão, mas não entenderão, porque o coração de vocês está duro demais e os ouvidos não ouvem; vocês fecharam os olhos contra o entendimento, porque não querem ver, ouvir, entender, e voltar-se para mim, a fim de que eu cure vocês.

28-29. Portanto eu quero que vocês entendam que esta Salvação vinda do ETERNO vai ser pregada aos estrangeiros, e eles aceitarão a mensagem.

30. Paulo/Sha’ul morou durante dois anos na casa que alugou, e recebia a todos os que iam visitá-lo. 

31. Falando a eles com toda a coragem a respeito do Reino do ETERNO e do Maoro’eh Yaohu’shua hol’Mehushkyah; e tinha toda liberdade para fazer assim.

ADICIONANDO UM ATALHO PARA O NOSSO SITE NA TELA DO SEU MOBILE
Primeiro, acesse o navegador da sua preferência e entre na nossa página para você adicionar o atalho na home do seu Android. Em seguida, pressione o botão de Opções do aparelho e escolha a alternativa “Mais”... 

Então, pressione a opção “Adic. Atalho à tela inicial”. Em alguns aparelhos, a opção de adicionar à página inicial pode ser exibida diretamente no primeiro menu de contexto presente na tela, sem a necessidade de ter que passar pela opção “Mais”.
Prontinho! 

Feito isso, o seu atalho já aparece devidamente adicionado à tela inicial do aparelho. 

OBS: Se necessário, renomeie o atalho para "CYC"

ENDEREÇO
Rua Cel Bento Pires, 1001 - Centro
18.275-040 - TATUÍ/SP

CONTATO
E-mail: cyocaminho@gmail.com
Celular: (15) 9 8800-1763 [OI]
                      9 8121-3482 [TIM]
                  9 9781-0294 [VIVO]
             9 9191-8612 [CLARO]
 

LINKS or PC

www.cyocaminho.com.br

[...e conhecereis a Verdade e a Verdade vos libertará - Jo 8:32]

  • CYC Editora
  • [ESN - Escrituras Sagradas segundo oNome]
  • FATCYC
  • [Faculdade de Teologia by CYC]

© oCaminho - 2005-2017d.Y                  .


Shua'oleym! Em breve responderemos; acesse a sua caixa de e-mail... Rosh Yaosh Edisom