Escola Sabática On-Line

Indo fundo nas entrelinhas...

 

Lição 1

Lição 2

Lição 3

Lição 4

HOME

Lição 6

Lição 7

Lição 8

Lição 9

Lição 10

Lição 11

Lição 12

Lição 13

 

By Ministério Estudando a Bíblia

www.cyocaminho.com.br

Exclua o item que desejar, chegando o mause no canto esquerdo, no doc que abrir!

Imprimir

 

1º trimestre de 2017

DISCIPULANDO!

 

Lição Intercalada com o Formulário para as Respostas


 

Lição 5 - Discipulando os enfermos

Sábado à tarde

VERSO PARA MEMORIZAR:

"E vieram a Ele muitas multidões trazendo consigo coxos, aleijados, cegos, mudos e outros muitos e os largaram junto aos pés de Yaohu'shua; e Ele os curou. De modo que o povo se maravilhou ao ver que os mudos falavam, os aleijados recobravam saúde, os coxos andavam e os cegos viam. Então, glorificavam ao UL'HIM de Yahoshor'ul" (Mt 15:30, 31).

Leituras da Semana: Is 53:4; Mt 8:17; Mc 2:1-12; Fp 4:4-9; 1Jo 3:20-22; Jo 11:37-44

Durante Seu ministério, Yaohu'shua dedicou mais tempo a curar os enfermos do que a pregar. Seus milagres testificavam da veracidade de Suas palavras, de que não veio para destruir, mas para salvar. Aonde quer que fosse, as novas de Sua misericórdia O precediam. Por onde havia passado, os que haviam sido alvo de Sua compaixão se regozijavam na saúde e experimentavam as forças recém-adquiridas. Multidões se ajuntavam em torno deles para ouvir de seus lábios as obras que o Criador havia realizado. Sua voz havia sido o primeiro som ouvido por muitos, Seu Nome o primeiro proferido, Seu rosto o primeiro que contemplaram. Por que não haveriam de amar Yaohu'shua, e proclamar-Lhe o louvor? Ao passar por vilas e cidades, era como uma corrente vivificadora, difundindo vida e alegria.


 USE O FORMULÁRIO ABAIXO PARA RESPONDER ÀS QUESTÕES

Nome:

E-mail:

1º Dia...

O Messias que cura

1. Leia Is 53:4; Mt 8:17; Jo 9:1-3. Em que sentido devemos entender esses textos? Quais perguntas eles levantam? Que esperança eles nos oferecem?

Minha Resposta à Questão 1:

Na antiguidade, a doença era considerada resultado de ações pecaminosas. Quem já não se perguntou, em algum momento, se a enfermidade, sua ou de um ente querido, não foi trazida como castigo pelo pecado? No livro de Yah'ov (Jó), seus amigos sugeriram que seus infortúnios, que incluíam doença, eram resultado de faltas ocultas. A implicação era que, de alguma forma, seu pecado havia causado seu sofrimento. De maneira idêntica, os discípulos de Cristo entendiam que a cegueira era um castigo pelo pecado. Isso sugere que a doença não requeria diagnóstico nem medicação, mas expiação. Matt'yaohuh (Mateus) faz referência à profecia messiânica de Yashua'yah (Isaías), afirmando que Cristo cumpriu essa predição e que a cura pode ser encontrada nEle.

Várias tradições pagãs antigas incluíam divindades que curavam, mas nenhuma dessas tradições propôs que seus deuses realmente tomaram sobre si as enfermidades do povo. Yashua'yah predisse sobre um Redentor que assumiria nossas enfermidades e pecados. Outras tradições antigas faziam provisão para a expiação substitutiva, a fim de beneficiar a realeza. Substitutos eram sacrificados no lugar do rei, para satisfazer os desígnios divinos contra um rei, transferindo assim a punição do mal de um indivíduo para outro. No entanto, em nenhum lugar houve tradições de reis que morreram como substitutos de Seus súditos; antes, nos enterros dos faraós, todos os seus servos mais próximos eram colocados ao lado do seu sarcófago, vivos, e a sua tumba (pirâmide) era selada. Acreditavam na ressurreição após mil anos e assim, quando ressurgissem - o faraó - ali estariam seus escravos para os servir! Portanto, o escravo morrendo por seus amos!

Isso, entretanto, é exatamente o que Yashua'yah predisse e que Matt'yaohuh confirmou: a Realeza do Céu sofreu as enfermidades humanas. Curiosamente, a palavra traduzida como "sofrimentos" em Is 53:4 vem de uma palavra hebraica que significa, basicamente, "enfermidade" ou "doença".

Yaohu'shua reconheceu que Sua missão era ao mesmo tempo pregar liberdade e curar os quebrantados de coração (Lc 4:17-19). Ele atraiu muitos pelo poder de Seu amor e caráter. Outros O seguiram porque admiravam Sua pregação de fácil compreensão. Ainda outros se tornaram discípulos por causa de Sua maneira de tratar os pobres. No entanto, muitos seguiram a Cristo porque Ele tocou e curou seu coração quebrantado.

De alguma forma, todos sofremos. Será que nosso sofrimento nos ajuda a ter compaixão diante do sofrimento dos outros? Podemos aproveitar essa identificação para discipular pessoas?


 

Segunda

Cura do corpo

 

2. Qual é a conexão entre doença física e pecaminosidade? Quais conclusões não devemos tirar dessa história? Mc 2:1-12

Minha Resposta à Questão 2:

Ao contrário da doutrina bíblica, a antiga filosofia grega separava na existência humana a dimensão espiritual ('alma' para os pagãos) da dimensão física (corpo). Acreditando que a 'alma humana' era imortal, muitos gregos minimizavam a importância do corpo. Por ser o corpo temporal, era considerado menos valioso do que a 'alma', que permanecia.

De fato, em um dos mais famosos textos da antiguidade, Platão descreveu seu mestre Sócrates, prestes a enfrentar a morte, falando longa e eloquentemente sobre a corrupção e maldade do corpo. Também afirmou que, no momento da morte, sua 'alma imortal'* seria finalmente livre para fazer todas as coisas que o corpo a havia impedido de fazer.

* Tanto a imortalidade da alma, a trindade (multiplicidade de deuses tipo 3 em1), quanto ir morar no céu ou até mesmo o nascimento virginal são conceitos (que se transformaram em doutrinas, pela então emergente ICAR; e que hoje, são defendidos com unhas de dentes pelos ditos cristãos protestantes, mesmo sem respaldo bíblico) advindos do paganismo grego...

A Bíblia ensina algo radicalmente diferente. O corpo humano é criação direta do Filho do ETERNO [Yaohu'shua, o Verbo que se fez carne e habitou entre nós - Jo 1:3, 14;Hb 1:2], que de modo assombroso e maravilhoso o formou (Sl 139:14). No Éden, formou um CORPO (terra = elementos químicos) e neste SOPROU uma porção do Seu fôlego de Vida, o RUACH (vento; fôlego ou mesmo energia de vida). Assim, com a união deste CORPO com o RUACH divino, surgiu o homem; uma ALMA vivente - Gn 2:7 X Ec 12:7. Portanto, o corpo "não se separa da alma";na morte,simplesmente deixa de existir - e o Criador tem poder para nos "reconstruir" [imagina você que Ele necessita de ter "guardado" um arquivo (alma como sendo uma espécie de backup) para nos restituir à vida?]!!!

Corpo, mente e espírito são apenas diferentes aspectos da personalidade ou existência humana, não entidades existentes de maneira independente. Consequentemente, o que afeta o corpo afeta a mente e o espírito, os outros aspectos inter-relacionados da personalidade. Assim, sempre que Cristo curava, Ele não apenas erradicava os problemas físicos, mas transformava a experiência humana nos aspectos físico, mental e espiritual.

Yaohu'shua curava não apenas o corpo, mas a pessoa inteira. Sua abordagem holística reconheceu que a saúde física era inseparável da saúde espiritual. Por meio da cura física Ele efetuou transformação espiritual (...vá e não peques mais)! Esse era, em grande parte, Seu propósito. Afinal, por que curar pessoas [ou ressuscitá-las] que, a longo prazo morreriam, se não fosse possível livrá-las da destruição eterna, no fim dos tempos?

Embora a doença possa resultar diretamente de práticas pecaminosas, muitas vezes as pessoas, até mesmo crianças, ficam enfermas, sem razão aparente, exceto o fato de que somos vítimas deste mundo caído. Por que é tão importante manter essa triste verdade em mente quando ministramos a alguém enfermo ou sofrendo por causa da enfermidade de um ente querido?


 

Terça 

Curando o corpo e a mente

Mediante a cura física e a restauração mental, Yaohu'shua fez discípulos. Muitas vezes, os pacientes de Cristo sofriam tanto de doenças físicas quanto mentais. A restauração física jamais foi o objetivo final. O alvo final sempre foi o discipulado. A cura poderia prover 20, 50, e talvez até 75 anos adicionais. O discipulado oferecia a vida eterna com Cristo.

Em Lc 8:26-39, o endemoninhado geraseno implorou para que pudesse acompanhar Yaohu'shua. Em vez disso, Cristo o encarregou de evangelizar sua família e os moradores da cidade. Tendo sido libertado de modo tão miraculoso, ele seria uma poderosa testemunha de Yaohu'shua.

 

3. Leia Mt 6:19-34; I Pe 5:7; II Co 4:7-10; Fl 4:4-9, e I Jo 3:20-22. Como os princípios ensinados nesses versos podem aliviar a ansiedade, culpa e vergonha que provocam muitas doenças mentais? Não se esqueça de Jo 8:32.


Minha Resposta à Questão 3:

A doença física às vezes é causada por estímulos mentais. A relação entre a mente e o corpo está bem estabelecida pela ciência médica. A ansiedade predispõe alguns aos problemas de estômago. A preocupação provoca distúrbios do sono. A ira incontrolável é um dos fatores das doenças do coração. Ao ensinar os princípios de saúde mental às pessoas, devemos destacar a importância de confiar no Criador, naturalmente levando-as ao compromisso espiritual pessoal e ao pleno discipulado.

Cada dia tem suas preocupações, seus cuidados e perplexidades; e ao nos encontrarmos, uns com os outros, como nos sentimos inclinados a falar de nossas dificuldades e provações! Damos lugar a tantas aflições emprestadas, condescendemos com tantos temores, damos expressão a um tal fardo de ansiedades, que se poderia supor que não temos um Salvador compassivo e amante, pronto a ouvir todas as nossas petições, e a ser-nos um auxílio bem presente em todas as nossas necessidades. O egocêntrico não sabe ouvir; o simples fato de dizer a alguém "como vai", implica em estar predisposto a OUVIR a resposta!!!

Embora uma caminhada com o Criador não seja garantia de boa saúde, não há dúvida de que a paz de espírito que resulta de conhecer o Criador pode ter um impacto positivo sobre nós, até mesmo fisicamente. Como podemos aplicar os princípios da lição de hoje, especialmente se somos propensos a preocupações?


 

Quarta

A ressurreição e a vida

 

4. Neste mundo em que a morte sempre tem a palavra final, pelo menos por enquanto, que grande esperança é encontrada nos versos a seguir? Lc 7:11-17; Mc 5:21-43; Jo 11:37-44.


Minha Resposta à Questão 4:

Políticos, artistas e atletas devem, necessariamente, oferecer algo para obter seguidores. Os políticos utilizam retórica hipnótica e promessas incríveis. Artistas usam suas habilidades para gerar emoção e criar identificação com o público. Atletas surpreendem multidões com suas habilidades físicas. Porém, muitos dos seus espectadores são invejosos e os seguem, desejando possuir tal capacidade.

O que Yaohu'shua oferece? Diminuição do desemprego? Salários mais gordos? Incríveis habilidades esportivas? Maior extensão vocal? Performances emocionantes? Em vez de tudo isso, Yaohu'shua oferece algo que ninguém pode dar: vida eterna em um mundo renovado. O que mais poderíamos desejar?

Enquanto os canais de vendas da televisão e da internet insultam nossa inteligência com suas ofertas "boas demais para ser verdade" [você já viu pessoas obesas fazendo propaganda de emagrecedores? Mulheres com cabelos curtos e mal tratados, anunciando tratamento capilar?], Yaohu'shua aparentemente excede esses excessos ao nos oferecer o maior de todos os negócios: vida eterna de graça, sem custos de envio e de processamento! Os céticos sem dúvida zombariam de tal oferta sem precedentes. O inimigo fabricaria uma imitação barata (o conceito satânico da alma imortal ou mesmo de ir para o céu - leia Sl115:16). Os potenciais compradores cautelosamente investigariam as alegações. Então, Yaohu'shua proveu três manifestações conhecidas para combater os incrédulos, expor as imitações e satisfazer os genuínos seguidores. A filha de Yao'eyr (Jairo), o filho da viúva da cidade de Naim e, finalmente, Ul'ozor (Lázaro), provaram que essa oferta "boa demais para ser verdade", era autêntica. Doenças e acidentes inicialmente poderiam prevalecer, mas a vida eterna acabaria predominando. A cura não aconteceria cada vez que fosse solicitada, mas a vida eterna foi garantida a todos os que fizessem de Yaohu'shua seu Salvador. O mesmo ocorre conosco. Muitas vezes, a cura desejada simplesmente não acontece da maneira que imaginamos. As pessoas padecem durante anos de doenças debilitantes e dolorosas que, longe de serem curadas, às vezes pioram. Outros morrem destas doenças, mesmo tendo recebido unção e oração. Não sabemos por que a cura acontece imediatamente em alguns casos e em outros não - os propósitos divinos prevalecem sempre!

O que temos, no entanto, é algo muito melhor do que uma cura miraculosa: a promessa da ressurreição para a vida eterna no fim dos tempos, na vinda de Yaohu'shua, quando "os santos do Altíssimo [receberem] o reino e o [possuírem] para todo o sempre, de eternidade em eternidade" (Dn 7:18).

Por que a promessa da vida eterna é tão crucial para nós? Sem ela, onde estaríamos? Sem ela, você teria alguma esperança?


Quinta

Legado de curas

5. Leia Atos 3:1-19; 5:12-16; 9:36-42; 20:7-10; I Co 12:7-9, 28-31; TG 5:13-16. Como os cristãos devem avaliar a importância do ministério de cura para a igreja do Novo Testamento?

Minha Resposta à Questão 5:

Os discípulos do primeiro século testemunharam em primeira mão o cumprimento da promessa de Cristo de que veriam "coisas maiores" (Jo 1:50; compare com Jo 5:20; 14:12). Curas miraculosas e ressurreições acompanharam o ministério dos discípulos mais preeminentes do cristianismo primitivo: kAFOS (Pedro) e Sha'ul (Paulo). Esses eventos desempenharam parte importante no crescimento da igreja primitiva. A eterna presença de YAOHUH UL'HIM, representada pela cura miraculosa, influenciou milhares de líderes religiosos a aceitar Cristo. Frequentemente, seus rebanhos os seguiam.

Às vezes, novos discípulos não entendiam corretamente o propósito divino. Shami'ul (Simão) tentou comprar o poder miraculoso, revelando motivações egocêntricas (At 8:9-25). A maioria, porém, reconheceu que a importância desses prodígios maravilhosos estava no fato de que eles revelavam a presença do ETERNO no meio deles. Essas demonstrações de poder divino provaram que o ETERNO existe e é digno de louvor.

Embora Cristo tivesse subido ao Céu, multidões ainda O seguiam por intermédio do ministério de Seus discípulos. Eles continuaram com a missão que Yaohu'shua tinha começado. Eles estavam cumprindo a visão que Cristo havia compartilhado.

Evidentemente, a saúde era uma preocupação constante, e um ministério de cura foi uma função contínua da igreja de Cristo. A cura foi listada entre os dons espirituais. Foram registradas nas Escrituras instruções quanto à ministração da cura às pessoas atingidas pela enfermidade. Esses dons beneficiariam os cristãos até a segunda vinda de Cristo, quando Sua presença pessoal os tornaria desnecessários. A história da Igreja narra a dedicação dos fiéis ao ministério da saúde durante muitos períodos. Certamente, aliviar o sofrimento humano era uma motivação importante. Outros, no entanto, reconheciam a cura como um primeiro passo para o conhecimento do evangelho pleno.


Sexta

Estudo adicional

Leia Lc 18:35-43; 13:10-17; 14:1-6; Jo 6:1, 2; Mc 6:5-7; 6:54-56; 7:31-37; 8:22-26; Mt 8:1-19; 12:15-23.

 

Perguntas para reflexão

6. Como o ministério de cura pode abrir corações e mentes fechados ao evangelho? Como podemos evitar o erro de pensar que a cura é um fim em si mesma?

Minha Resposta à Questão 6:

7. Como as igrejas podem participar do ministério de cura? Como os cristãos podem evitar que a sociedade os associe aos chamados curandeiros?

Minha Resposta à Questão 7:

8. O que podemos dizer aos discípulos em potencial que, procuram nossas igrejas e hospitais em busca de cura, e ela não acontece? Que respostas temos para ele? Que respostas encontramos na Bíblia? Lembrando que os pentecostais sempre tem a resposta na ponta da língua: Faltou fé em você(não é nossa culpa)! 

Minha Resposta à Questão 8:



				

Respostas sugestivas:

1. Yaohu'shua assumiu a plenitude das nossas dores e enfermidades. Seu sacrifício na cruz traz conforto e alívio ao nosso sofrimento no presente, além da grande esperança de libertação no futuro; isso também se cumpriu quando Yaohu'shua curou doentes e expulsou demônios. Dessa forma Ele manifestou a glória do ETERNO e destruiu as obras do diabo.

2. A doença física é consequência do pecado, que é uma doença espiritual, e dos atos pecaminosos específicos, que intensificam o sofrimento causado pelo pecado. Isso não quer dizer que todas as doenças são punição por uma falha específica. Podem ser os resultados do pecado no mundo natural e na sociedade. Yaohu'shua deseja restaurar o ser humano como um todo.

3. Não devemos estar ansiosos para adquirir riquezas, nem pelo que comer, beber e vestir; essas coisas podem se tornar um ídolo; ao contrário, devemos confiar no Criador, mesmo em meio às tribulações, e lançar toda nossa ansiedade sobre Ele, porque Ele cuida de nós. Mesmo que nosso coração nos condene, o ETERNO, que nos perdoa, é maior que nosso coração.

4. No caminho para o cemitério da cidade de Naim, a última palavra foi de Yaohu'shua. A morte foi vencida. Na casa de Yao'eyr (Jairo) e na tumba de Ul'ozor (Lázaro), Yaohu'shua teve a última palavra sobre a morte. Pela fé em Yaohu'shua, também venceremos a morte.

5. As curas promoveram o interesse no evangelho e ajudaram no crescimento da igreja; elas também foram evidência da atuação divina entre os cristãos, fortalecendo a fé dos fiéis. A cura é um dos dons do Espírito Santo, concedidos para benefício do corpo de Cristo e cumprimento da missão desse corpo.


 

 
 

CTA: Curso de Teologia Aplicada

Não perca a oportunidade de se atualizar, TORNE-SE um rosh da CYC,  fazendo o CTA  - o único curso unitariano via e-mail - com Novos Cursos para homens e mulheres; formando líderes para cumprir o Ide!

   SAIBA MAIS...

Agora com Novos Cursos

 

Index